3 de outubro de 2015

Se você não é petista

Tem um site muito bom, com boas análises do governo e suas políticas.

Falo da Tribuna da Internet, e as matérias são assinadas pelo Carlos Newton.

Pode ser acessado através do link a seguir:


Algumas das charges que ilustram as matérias são muito boas. Vejam exemplos:







Agora vejam só. Cansei de escrever neste espaço virtual que o José Serra implantaria uma política austera em relação aos bancos. Certamente não estariam exibindo lucros indecentes, como acontece. Por isso ele não recebeu apoio dos banqueiros.

O cerco está apertando. Se o fanfarrão do Emílio Odebretch fosse um homem de palavra, a primeira charge acima estaria em vias de se tornar  uma realidade.  Lembram que ele ameaçou, caso o filho Marcelo fosse preso? "Terão que construir mais três celas: uma para mim, Lula e  Dilma". 
Confiram: http://tribunadainternet.com.br/category/carlos-newton/

Pois é, o Marcelo está preso e está com medo de abrir o bico. Não topa a delação premiada. E o pai, Emílio, botou a galho dentro como se dizia dos covardes no passado.

Escrevi sobre Adão e Eva no outro dia e vejo, na versão bem-humorada, que Dilma gostaria de atribuir a eles a origem das mazelas do governo. 

Nota do editor:
http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2015/09/apertada-sintese-da-evolucao-do-homem.html

No fechamento da edição foi anunciado o corte de Dilma.
Vejam:


16 comentários:

Jorge Carrano disse...

Dá para confiar neste governo? Risível o anunciado corte, a reforma administrativa. Dos 39 ministérios cortou apenas 8. Quando poderia, sem prejuízo para a máquina do estado, reduzir 19.
Os cortes de despesas foram tímidos. Como alguém já colocou, ela (Dilma) fez uma maquiagem. Economia engana o trouxa, como tudo que este des(governo) fez e faz.
Redução de 10% nos salários, quando você tem cartão corporativo, as despesas do palácio todas pagas pelos cofres públicos, ministros com verbas de representação, transporte (carros oficiais e passagens aéreas, por conta da viúva, jatinho da FAB),l assim é mole. Isso é tapeação. Viram o montante da redução com estas medidas anunciada?
Não chega a 10% do total do rombo no orçamento.
A única coisa válida é que a presidente admitiu que distribuiu ministérios para assegurar governabilidade, apoio no congresso. Ou seja, deu um cala boca para os parlamentares dissidentes e descontentes.
Meu nojo só aumenta, ficarei desidratado de tanto vomitar.

Paulo Bouhid disse...

Jorge, sabe quanto os bancos estão oferecendo de reajuste salarial (anual), já que a data-base dos bancários é setembro? 5,5%. Aí os caras fazem greve - cobertos de razão - e vem um juiz dizer que a greve é ilegal...
Pra quem não sabe, o INPC acumulado de 12 meses já ultrapassou 9%...

Carlos Frederico disse...

Ninguém quer largar o osso. Não querem enxergar um centímetro à frente do próprio nariz, porque não é difícil entender que se o país estivesse em pleno desenvolvimento dentro do bloco BRICS a vida de todos estaria melhor. Mas quem está nos cargos não quer ceder um centavo, os outros que se danem.

Além desses, no Brasil a massa votante do PT e coligados está longe de entender quaisquer das coisas que se debate na mídia com relação a orçamento, política internacional, comércio exterior, manutenção da indústria nacional. Só quer saber de continuar a receber as benesses de preferência sem trabalhar. A ponto de até trabalhar mas não assinar carteira para fingir que não trabalha e continuar a receber a benesse.

A meu ver, não há mais como reverter o quadro, porque o sistema é a democracia. Os filhos dos que estão aí hoje em dia foram gerados e criados dentro desse status quo e não entendem outra língua que não a da sobrevivência a qualquer custo e a mamata nas tetas do governo. Some esses votos aos já existentes e entenderá meu argumento.

Resta a quem pode cair fora.

Riva disse...

Hoje, dando a tradicional caminhada por Icaraí com a Matriarca Vascaína, comentamos que não há um dia de caminhada em que não testemunhamos um punhado de irregularidades, algumas hediondas .... que fase triste, e aparentemente, irreversível.

Chegamos a ver automóveis estacionados sobre a calçada, impedindo a passagem de um cadeirante.

NITTRANS é uma vergonha para os niteroienses. E paga com nosso IPTU.

Num encontro com um amigo de longa data, engenheiro civil e desempregado há 2 meses, disse que está se preparando para sair do país e terminar os dias no planeta em um lugar mais feliz.

Operação Êxodo.

Riva disse...

Freddy, se a Matriarca Vascaína sinalizar OK, estarei partindo no dia seguinte.
Não aguento mais isso aqui, e não haverá reversão. O nosso amanhã não será nada bonito.

Destino ? 4 opções .....


Alessandra Tappes disse...

Uma dúvida: (dúvida de uma NÃO petista)

Se, somos governados há bem 12 longos anos, mesmo não aceitando metade das mudanças que estamos vivendo, ouvindo discurso sem sentido algum, cortando despesas para poder sobreviver, engolindo taxas sendo criadas, pagando pensão alimentícia para viúva de terrorista cubano- argentino, vendo nossa saúde ser invadida por cubanos, vendo nossa educação falir, virando motivo de piadas em programas humorísticos nos EUA, perdendo nossa dignidade... o que somos afinal?? Por pior que esteja a situação do nosso país, é a minoria que reclama em voz alta, o barulho fica pequeno demais, ou o povo se cansou ou o povo se contentou com uma cesta básica...

Já foi a época em que se queria "botar o bloco na rua" como dizia o saudoso primo de Wanda. E, quando esse abria a boca pra chamar a população pra ir com ele, era dito louco, chapado, baderneiro.

Bem, vamos embora que esperar não é saber. E eu continuo com a minha dúvida: afinal o que somos???


Jorge Carrano disse...

Alessandra,
Vou parafrasear um comentário que ouvi recentemente. O alvo do comentário eram as pessoas que querem primeiro ver, só então acreditam. Tipo São Tomé, né?
Nós pertencemos a legião dos que acreditamos, depois veremos.

Não sei se ficou claro. Mas o que quero dizer é que os acomodados, os céticos são derrotados que não acreditam nem em seus sonhos. Querem ver as coisas sendo solucionadas, aí passam a acreditar e aderem.

Já que você citou música, recordo de uma outra, de outro contexto, mas que se aplica ao momento presente também. Eis um trechinho:
"quem sabe faz a hora, não espera acontecer".

Paulo Bouhid disse...

Jorge, sobre a música... é o trecho seguinte da citada por Alessandra:

"Pra não dizer que não falei das flores" - Geraldo Vandré

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe, faz a hora,
Não espera acontecer.

Jorge Carrano disse...

Bem observado, Paulo. Trata-ase da mesma música.

Jorge Carrano disse...

Eis o link de "Pra não dizer que não falei das fplores", de um outro momento político. Mas o que venta pra lá, venta ra cá. Ou pau que dá em Chico, dá em Francisco.

https://www.youtube.com/watch?v=A_2Gtz-zAzM

Riva disse...

De que flores que vcs estão falando ? O jardim está morrendo.

A realidade é uma população a fim de uma Bolsa Família, e um governo que cacareja ter muitas bolsas família - inversão total. Um Brasil Bandido é o que temos para o amanhã.

Riva disse...

A liberdade de andar distraída
por TAIGA CORRÊA GOMES

Logo depois que soubemos que iríamos morar fora do Brasil, um amigo disse que eu me sentiria como se estivesse em férias permanentes. Depois de pouco mais de 2 anos, não é exatamente essa a minha sensação, mas é parecida.

Aqui em Tóquio me livrei de todas as causas desnecessárias de stress. Mesmo sabendo que um terremoto pode acontecer a qualquer momento, vivo sem medo. Ando distraída pela rua sem nenhuma preocupação. Deixo meus filhos brincarem livres em um parque público enquanto leio um livro. Não preciso ter carro aqui, me livrei da tensão no trânsito. Tenho a escolha de me locomover de metrô, ônibus ou bicicleta, e sempre sei exatamente a que horas vou chegar ao meu destino. Nunca mais tive que correr ou me atrasar para um compromisso. Se preciso pegar um táxi, tenho a certeza de que o motorista é de confiança e não vai cobrar a mais. Aliás, se por um acaso ele erra o caminho, devolve a diferença.

Não é uma sensação de estar em férias, é a experiência de viver em um país que me proporciona direitos básicos. Sinceramente: isso é pedir muito? Poder ir e vir com liberdade, sem medo; poder compartilhar o espaço público em harmonia com os outros cidadãos; ser tratada com respeito e cordialidade; morar em uma cidade limpa; ter à disposição diversão gratuita no fim de semana nas inúmeras praças e parques impecavelmente administrados.

Conversando com uma amiga alemã hoje eu tentava explicar um pouco o que escrevi acima. Ela não conseguiu entender porque nunca viveu tendo sua energia sugada pelos pequenos e grandes problemas que corroem o dia-a-dia do brasileiro. Enquanto eu estava imersa no caos do meu tão amado e maltratado Rio de Janeiro, não me dava conta do quanto eu era consumida um dia depois do outro. Ter que pagar uma conta no banco enfrentando uma fila imensa e a falta de educação de uma atendente; pisar em uma poça de esgoto em um dia de chuva ou voltar de um dia na praia e não encontrar a minha bicicleta. É claro que tudo isso e muito mais já aconteceu comigo, faz parte da rotina do carioca, é normal. Vivi toda a minha vida assim e, anestesiada, quase não me indignava mais.

Pois agora confesso que estou cada vez mais revoltada com o que eu aceitava resignadamente. Não, não é normal. Normal é ter a liberdade de andar distraída.

Paulo Bouhid disse...

"Normal é ter a liberdade de andar distraída".

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Carlos Frederico disse...

Esse texto acima, recebido no Facebook por Riva e outras pessoas, mereceu de mim comentário. É que testemunhei pessoalmente esse sentimento durante os 7 meses em que morei em Munique. Quase exatamente o mesmo. Nunca mais pude aceitar sossegado o que acontece por aqui, pois é diferente o saber que existe do ter vivenciado.

Posso acrescentar a sensação de vergonha que passei a ter de ser brasileiro depois de ter passeado pela Holanda. Um povo de 1º mundo que sobrevive às custas de ter de empurrar o mar para poder criar terra e existir. Comparo com o Brasil e sua imensidão, apodrecendo pelo mau uso que faz de seus recursos...

Diferente de outros tantos que frequentam esse espaço, não tenho nenhuma alma brasileira que me faça lutar pelo país ou seu povo. Poderia emigrar sem remorso. Não o faço agora também por comodismo, já que há uma ou outra chance.
Porém, nunca se sabe o amanhã. E antes tarde do que nunca. Pois o normal é ter a liberdade de andar distraído e isso sempre será impossível aqui.

Riva disse...

.... E PARA ARREMATAR :

http://reaconaria.org/blog/reacablog/eu-vou-pegar-o-lula/

Jorge Carrano disse...

Chile e Peru, mais pragmáticos e menos bolivarianos, entraram nesse pacto.

http://oglobo.globo.com/economia/acordo-historico-une-eua-japao-outros-10-paises-do-pacifico-1-17689533