27 de março de 2016

Era o século passado ...

Há muito tempo. Muito mesmo. Antes do fax, da xerox, da internet, do Big Mac,  do GPS (Global Positioning  System), do Skype, do smartphone, do tablet, existam serviços, equipamentos, utensílios, usos e costumes, lendas e tradições, hoje inaceitáveis, desnecessários, inexistentes, fora de moda ou absolutamente inúteis, como o mata-borrão, por exemplo. 


Big Mac
Quem leva o leitão, temperado, com uma maça na boca, para assar na padaria da esquina, já que o forno caseiro era menor do que o tabuleiro onde jazia o suíno e a temperatura ficava aquém da obtida no forno à lenha da padaria, que por conta disso expelia por uma chaminé  uma fumaça preta da qual ninguém se queixava. Quem era molestado?

Precisa legenda?

Hoje não tem padaria na esquina (são raras), o forno delas é elétrico, pouca gente come leitão – ainda mais inteiro – e encontramos na rotisserie e em alguns hipermercados tudo pronto para consumo?

Rotisserie
Antigamente o leitão estava presente em vários eventos. Até nas partidas dos campos de várzea, o jogador que desse o chutão mais alto, rebatendo uma bola, ganhava o leitão assado.

Nas quermesses havia sorteio ou leilão de porco assado. E muita gente que tinha espaço criava o leitão para o final do ano. Nós mesmos fizemos isto uma vez. Meu pai ganhou uma leitoazinha, daquelas de leite, e nós a criamos até o final do ano, mas ela não sobreviveu ao réveillon.

Quem, na família, sabia ou tinha coragem de matar a coitadinha? Ninguém. Foi chamado um profissional que apareceu com seu estilete (um punhal de ponta fina) e a troco de metade da  gordura ( àquela altura a “dengosa” já estava bem desenvolvida) matou a nossa iguaria de final de ano.

Eu mesmo a levei até a padaria que havia na esquina das ruas Visconde de Itaboraí, com Silva Jardim. Eu tinha, sei lá (socorre aí Ana Maria) 11 ou 12 anos. Na hora de buscar meu pai foi, porque, além de quente, o tabuleiro estava cheio de gordura e precisa ter cuidado para não entornar.

Nós ainda não tínhamos automóvel, o que só veio a acontecer um pouco depois. Mas tudo era perto: padaria, botequim, farmácia, barbearia, açougue, quitanda, armazém, leiteria e abatedouro de frango.

E tinha o sapateiro, Seu Osni, que tinha o mesmo nome do então goleiro do América, que por sua vez era irmão de um médio volante do Vasco e da seleção brasileira. Refiro-me a Osni e Ely do Amparo. Ely (ou Eli) jogou também no Canto do Rio.

Irmãos Ely e Osni do Amparo
Este sapateiro colocava chapinhas no bico e no salto dos sapatos para que os solados durassem mais. Depois surgiu o Vulcabrás (“que é melhor e dura mais”).

Claro que não falei de lendas, tradições e outros costumes extintos posto que o post está ficando mais longo do que o ideal.

Mas voltarei outro dia falando de Jerônimo, filho de Maria- Homem, que nasceu em Serro Bravo. 












As imagens foram pinçadas no Google.
Por enquanto, troco um GPS (novo, de pouco uso) por um Guia Quatro Rodas, em bom estado, ou mapas rodoviários atualizados. 

Isso é uma provocação com minha nora e meu caçula, que não abrem mão de modernidades.

18 comentários:

Riva disse...

Respondendo à pergunta do 2º parágrafo .... o único molestado nesse hitsória toda foi o porco, coitado.

Voltei no tempo. Não sei qual era o ano, mas creio ter sido em torno de 1962, quando um vizinho no Pé Pequeno resolveu matar o porco que tinha em casa. "Contratou" um maldito matador para o tal golpe certeiro. Lembro de pelo menos umas 5 ou 6 estocadas, porque o porco gritava muito toda vez que o desgraçado errava o alvo (o coração).

Freud explica porque não como carne de porco de jeito nenhum (apesar de comer salsichas e outros embutidos).

Também não como galinha (bípede emplumado). Via minha avó cortar sua garganta e sangrá-la até a morte. Depois uma imersão em água fervendo para facilitar a retirada das penas. Quando ia para a mesa (geralmente ao molho pardo - sangue), eu comia um bife em outro canto da casa (até porque nunca vi matarem um boi).

Feliz Páscoa a todos que passarem por aqui, no Pub da Berê !!

PS : que 2º tempo aquele de ontem do espetacular jogo Alemanha x Inglaterra.

Jorge Carrano disse...

Boa Páscoa, Riva!

Jorge Carrano disse...

E Holanda X França, nas sexta-feira?

O futebol na Europa está muito acima do sul-americano no momento, mesmo com Messi, Luizito e Neymar aqui neste continente.

Ana Maria disse...

Lembro da Dengosa, que dava a barriga para uma coçadinha, mas não sei precisar o ano.
O Zizinho não morava na Silva Jardim, perto da "phamácia" do Seu Dermeval?
Concordo com vc quanto ao GPS. Sào necessárias atualizações frequentes e um bom co-piloto.

Riva disse...

Holanda x França foi outro grande jogo.

Fiquei impressionado com a força de ataque da França, um time voltado para o ataque 100% do tempo de jogo. E por isso toma gols, como o Santos de Pelé tomava também.

Carlos Frederico disse...

Chego agora de viagem e sem tempo para degustar o texto a ponto de comentá-lo corretamente. Apenas adianto que alugamos um carro em Goiânia e meu genro, modernoso, confiou no programa Waze para nos levar a Rio Quente. Fez um caminho na ida que nos jogou numa estrada "craterizada" que quase destroi os pneus. Na volta mudou espontaneamente o trajeto, levando-nos a outra estrada com trecho horroroso.
Vale dizer que já fiz esse trajeto Goiânia-Rio Quente em outras oportunidades com taxistas contratados no resort (preço fechado) e NUNCA eles fizeram nenhum dos 2 trajetos sugeridos pela moça do Waze.
Ah, se eu tivesse um mapa em papel...

Espero que todos tenham tido uma feliz Páscoa.
=8-)

Jorge Carrano disse...

Valeu, Freddy!

Espero que você, Mary, Renata, Flávia e genros também tenham tido uma Boa Páscoa.

E que o chocolate não traga efeitos colaterais (rsrsrs).

Jorge Carrano disse...

Como diria o Riva, alguém aí tem uma corda?

http://www.oantagonista.com/posts/alguem-ai-tem-uma-corda

Riva disse...

Corda pra quantos ? rsrs

Jorge Carrano disse...

Fabricação de cordas será um negócio promissor no Brasil.

Quem não precisar de corda é porque anda comendo mortaNdela, negócio também restável por enquanto.

Carlos Frederico disse...

Prefiro manter a massa da pizza crescendo...
Já separei a muzzarella e as folhas de manjericão (dá para congelar misturada no azeite). O molho está pronto e os tomates eu vou cortar na hora, assim a pizza fica mais saborosa.
<:o)

Jorge Carrano disse...

Reitero que, se depender de minhas preces, você terá uma enorme indigestão com essa pizza.
Melhor não torcer para ela sair.

Riva disse...

Não duvido que possam assar uma pizza para evitar porradaria nas ruas, confrontos, defesa da propriedade, e forças armadas tendo que sair detrás dos muros onde estão encasteladas.

Um Brasil Bandido é o que temos hoje para nossos filhos e netos. Acho que já falei isso umas 20x aqui !!

Não vejo liderança na oposição, como não existia no Iraque. Então todos sabiam a merda que ia acontecer, tirando o Saddam. O resultao está lá, sem solução. Na Síria, inexiste liderança na oposição também, então, sem solução que não seja a continuidde do ditador.

E aqui ?????

Pizza no forno, como diz o Freddy ? Ou vai aparecer um Caçador de Marajás versão século XXI ?

Riva disse...

E no Twitter, fortemente, surge uma declaração do Temer (para mim boato, mas não descarto) de um governo dele "sem caça às bruxas", constituído por lideranças políticas, inclusive do lulopetismo !

Freddy, vai colocando a cobertura na pizza !!

PS: e para o bem do futebol brasileiro, uma derrota hoje cai bem. Dunga fora, Tite entra, e teremos 6 meses para respirar e trabalhar uma seleção de verdade para a Copa 2018. Há males que vem para o bem.

Jorge Carrano disse...

Riva,
Acho o Tite um bom nome. Já comprovou competência. É estudioso e sabe liderar grupo de estrelas.
Meu receio é que na seleção ele não teria o tempo de treinamento e conscientização que tem no clube.
O sistema tático é o forte dele. E isso depende de ensaio, de conscientizar os jogadores.

Riva disse...

Considero o que ocorreu no meu FLU um "case study". Graças aos Céus tiraram o aprendiz de treineiro Eduardo Baptista, para colocar um treinador de verdade, o Levir Culpi.

Resultado : treinos de verdade pela manhã e à tarde,fundamentos, cruzamentos, posicionamento de defesa, chutes a gol, armação defensiva e ofensiva em bloco, escanteios, faltas, enfim, já é nítida a evolução no elenco, e melhor, VAI DAR TEMPO de termos um time melhor no início do BRASILEIRO.

O mesmo penso em relação à seleção da CBF. Que esse asno saia agora, com uma derrota, para termos tempo de contratar um treinador de verdade, e arrumarmos essa seleção para 2018.

PS: no Twitter já dizem que vem por aí um BAYERN LEVIRKULPEN .... rsrsrs

Jorge Carrano disse...

BAYERN LEVIRKULPEN? Menos, Riva. Menos.

Riva disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk

FLUi !!