3 de março de 2016

Com 46 anos de idade, e caçula.

Nunca tinha imaginado chegar aos 46 anos de idade. Quando eu tinha 10 ou 11 anos, esta possibilidade era tão longínqua que eu nem pensava no assunto.

Inclusive porque pensar no futuro era um exercício penoso naquela idade.

Imagina aos 11 anos estar preocupado em atingir a maioridade, estudar, obter uma graduação em nível superior, arranjar uma ocupação rentável , casar, ter filhos, educa-los ... e ver netos.

Acresce que pensar nisso implicava pensar na morte. Primeiro porque a expectativa de vida nos anos 1940 era de 48 anos. Isso mesmo, 48 anos era o que o cidadão comum, em média, viveria.

E ainda havia uma agravante, assustadora para um menino impúbere. Era corrente uma previsão sombria, baseada em lendas ou escrituras, de que segundo o Criador, o mundo aos mil chegaria, mas de dois mil não passaria.

Ora, em 1950 isso significaria, quando muito, viver até os 50 anos.

Por que lembro disso hoje?  Simples. No dia de hoje meu filho caçula comemora 46 anos de idade. Então eu ultrapassei esta barreira e meu filho mais novo a atingiu.


Parabéns Ricardo. Minha torcida é que você continue na trilha vitoriosa que vem percorrendo, na vida pessoal e na atividade profissional.

Te amamos muito (eu e mama). Você sabe. Nossos votos?

“Muito dinheiro no bolso, saúde p’ra dar e vender”, versos de conhecida canção que recitei ao telefone hoje cedo.

Beijo enorme.



Notas do editor:
1) Sem ciúmes, Jorge, seu dia há de chegar (rs) 
2) Expectativa de vida:
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/expectativa-de-vida-avanca-25-anos-em-meio-seculo/

8 comentários:

Paulo Bouhid disse...

Parabéns ao Ricardo... parabéns aos orgulhosos (com toda razão) pais!!!!

Jorge Carrano disse...

Obrigadíssimo, Paulo.

Riva disse...

bacana ! Parabéns a todos os envolvidos rrsrs.

Estou me lembrando que também NUNCA me preocupei com meu futuro.

Acho que só caiu a ficha quando meu 1º filho nasceu. Até então era dia após dia, curtindo a vida, o casamento, o trabalho, planejando viagens, tudo.

Mas o número 48 mencionado fez-me lembrar que sempre pensei nisso .... que no ano 2000 eu faria 48 anos de idade, e não sei porque, virou uma meta mental chegar lá. Parece loucura isso, mas era mesmo.

E passou 2000, e estamos em 2016, e vamos que vamos !! Meu pai infelizmente faleceu com 63 anos, assim como minha amada sogra. Espero poder curtir mais o Planeta Terra, e a minha família.

FLU i

Jorge Carrano disse...

Valeu, Riva. Obrigado.

Carlos Frederico disse...

Parabéns aos Jorges.
Que vençam outras berreiras numéricas com saúde e harmonia familiar.
Abraços
Freddy

Carlos Frederico disse...

Correção: Parabéns ao Jorge e ao Ricardo (Rick). O outro Jorge continua na expectativa (rs rs).
Que vençam outras barreiras numéricas com saúde e harmonia familiar.
Abraços
Freddy

Jorge Carrano disse...

O Jorge, meu primogênito, é muito ciumento, Freddy.
Por isso fiz aquela ressalva.

RC disse...

Obrigado, pai! Obrigado também aos amigos, frequentadores do blog. Vida longa e próspera para todos!