11 de março de 2017

Vou fazer 77 anos (?)


O sinal interrogativo ao final do que seria uma afirmação, é por conta do imponderável, do imprevisível, do inesperado, das “trapaças da sorte”, das armadilhas do destino.

Com efeito farei 77 anos no próximo dia 21 de abril. Depósitos em minha conta, a guisa de presente, só devem ser feitos se a origem do dinheiro for honesta. Não quero “caixa 2” em minha conta.

Valores acima de R$ 5.000,00 darão direito a entrega pessoal fotografada, para publicação no blog. Aprendi isto com um pastor que conclamava os fieis a que depositassem na sacolinha suas colaborações para a igreja.

E ressalvava que valores acima de R$ 1.000,00 deveriam ser entregues no palco onde ele se encontrava. Claro que era chantagem, constrangimento. Quem não subia ao palco para fazer a entrega do óbulo (antiga moeda grega) significava que estava contribuindo com valor menor. E todos ao redor ficavam sabendo.

Pelo contrário, os exibidos, ou vaidosos, mesmo não podendo contribuir com somas maiores, subiam para serem vistos.
Cartelas da víspora

Este número 77, nas poucas vezes em que jogávamos víspora (em alguns lugares – quino), na casa de meu tio João, irmão de meu pai, ele era apregoado, quando sorteado da sacola onde ficavam as 90 pedras numeradas do jogo como “dois machados num pau só”.

Muitos números tinham esta versão jocosa, divertida. Lembro o número  22 que era anunciado como “dois patinhos na lagoa”.

Observem que 77 e 22 lembram vagamente as figuras de dois machados e de dois patinhos.

Se não me engano chegamos a ter lá em casa (Ana Maria confirma?) este jogo comprado em loja de brinquedos. Além das cartelas para marcação dos números sorteados (cantados), o jogo tinha, ao invés do tradicional saco de pano onde eram colocadas as pedras do jogo, um pequeno globo, com uma válvula debaixo que acionada deixava cair uma peça. Uma manivela fazia girar o globo para misturar as pedras (pedaços circulares de madeira, com numeração nas duas faces).

Não sei se vai doer fazer 77 anos. O que sei é que envelhecer é uma droga. Estou até hoje procurando encontrar uma vantagem por haver chegado aos 70 anos e seguintes.

Tiradentes
Diferentemente de algumas pessoas que têm que trabalhar no dia de seu aniversário, ou se permitir a vadiagem na data assumindo o ônus da folga comemorativa, o dia em que nasci é ferido nacional por conta da homenagem a Tiradentes.

A diferença é que comemoro nascimento e todos comemoram a morte do líder da Inconfidência Mineira.

A rainha Elizabeth II, da Inglaterra, também nunca precisou trabalhar em seu aniversário, na mesma data.

Alias ela nunca precisou trabalhar, porque os primeiros-ministros  sempre governaram por ela, que só reina.

Voltando ao início, pode, claro, acontecer um mal súbito, assim como em 2010 quando fiz o AVC (AIT para o neurologista porque não foi com ele ou alguém de sua família), mas em condições normais de temperatura e pressão, chego vivo ao dia 21 de abril.

Podem preparar homenagens, elogios, comprar presentes, convidar para um chopp, estas coisas de praxe.  

11 comentários:

Freddy disse...

Esperamos encontrá-lo com saúde no dia 21 de abril. É um privilégio dado a poucos atingir essa idade inteiro e "pimpão". Posso mandar antecipadamente os votos de feliz aniversário, paz, saúde e harmonia, mas alguns dizem que não é de bom alvitre...
Assim sendo, esperaremos pacientemente.
=:-) Freddy

Riva disse...

O que vc tem contra o Caixa 2 ?

Prepare-se, porque o Congresso prepara uma grande anistia para Caixa 2 e outras cositas mais. Por enquanto, latrocínio é crime.

#BRASILBANDIDO

PS1: MV continua de molho. Como disse antes, exame somente dia 22, resultado dia 27, médico dia 30.

PS2: e por isso continuamos arriscando. Hoje fomos de dobradinha e de carne seca com purê de abóbora, do Biana Bistrô do Ingá. Recomendamos.

PS3: xeretei hoje o GoogleMaps, definindo um novo roteiro em Portugal, em outubro, se a MV puder viajar. Distâncias, tempo de deslocamento de carro, para deixar definidas as dormidas.
Objetivo é a SERRA DA ESTRELA : entrando pelo Porto, Celorico da Beira, Guarda, Belmonte, Manteigas, Seia, Piodão, Covilhã, Marvão (fora da serra) e saindo por Lisboa (passando novamente por Fátima e Óbidos).

Portugal merece 4 vgs. A que já fiz, essa que tentarei fazer em outubro, outra no norte e outra no sul, engatando na Andalúcia na Espanha.






Jorge Carrano disse...

Se o "Caixa 2" for liberado, regulamentado e deixar de ser fraude (em especial para o fisco), passarei a aceitar doações e presentes mesmo que oriundos deste mecanismo, desde que, outra ressalva, os recursos que irrigaram a conta não sejam fruto de propina (que é outro delito, associado a corrupção).

Ana Maria disse...

Informo ao aniversariante de abril que minha data natalícia é em março, e que, o "mimo" que eu receber determinará o que darei.
Esclarecido o valor do presente, passemos ao jogo de víspora, hoje conhecido apenas como Bingo.
Sua memória está boa. Os números eram "cantados" utilizando-se eufemismos e comparações jocosa. Ao óculos da vovó, veado,idade de Cristo além dos já citados, somam-se hj o "boa ideia", "PT" etc.
O equipamento composto do saquinho com números ou, modernamente o globo para sorteio e cartões numerados onde os números sorteados eram marcados com feijões ou milhos.
Quero confessar que gosto de jogos. Da maioria deles. Faço parte de um grupo de senhoras que se diverte com cartas e cartões.Víspora ou bingo é um nossosdos divertimentos preferidos, visto que possibilita a participação simultânea de todos os membros de grupo mais os eventuais agregados e a união de diferentes gerações.

Riva disse...

Como vc vai saber se o pagamento ou doação que vc recebe via Caixa 1, é produto de corrupção ?
Vc pode estar sendo o 1º a receber, num processo de lavagem da grana, mas pode ser o 20º, ou o 100º !!
Não dá ....

Tem que matar o problema onde ele nasce no Caixa 1. A Lei Sarbannes-Oxley é um dos instrumentos lá fora para isso. E isso tudo envolve a alta direção das empresas, processos internos de medição e controle, e pior ....alguém focado e responsável pelo processo.

Jorge Carrano disse...

Riva,
A propósito de sua fase delivery, registre que o Jambeiro tem uma paella marinheira, a R$ 299,90, para duas pessoas, que é um arraso para quem gosta de frutos do mar.
Tel: 2717-7393
www.restaurantejambeiro.co.br

Riva disse...

Valeu a dica, amigo, mas para vc ter uma idéia, o Viana do Castelo dentro do Mercado de Peixe, muito bom, vende pratos para até 4 pessoas a 150 reais, entregando em casa.

Com certeza a paella deve ser muito boa, mas o preço ....

No Rio o local que mais gostamos para frutos do mar é o La Plancha, dentro do mercado de peixe da Barra, e os preços giram pelos 200 reais para 3 pessoas.

A propósito, hoje fomos novamente de BIANA BISTRÔ, aí do Ingá. Picadinho tradicional (com arroz, farofa, banana e saladinha) e um talharim com lascas de mignon, manjericão,ao pomodoro. E bolinhos de arroz de entrada. Ambos bem gostosos. 60 reais.

PS1: procurando uma nova série no Netflix. Que seja de 1ª temporada.

PS2: peguei uma certa antipatia pelo Jambeiro, por ser point de prefeitos ..... saca ? penso logo no meu IPTU .... e na hora do jantar não faz bem.




Jorge Carrano disse...

Concordo quanto ao preço.

Quanto a eventual encontro com o prefeito, o sistema proposto - delivery - evita tal constrangimento, a não ser que você o convide para compartilhar a refeição em sua casa (rsrsrs).

Mas ai seria um ato de hipocrisia, porque você estaria evitando ser visto com o alcaide em público, mas admitindo sua companhia (e até amizade) no particular (rsrsrs).

Riva disse...

Um restaurante excelente em Niterói, mas muito caro, é o Olimpo. Cozinha muito boa.

O problema é a clientela, extremamente yuppie, sofisticada, e tem tb aqueles emergentes da ocasião (brasil de hoje, saca ?).
Não me sinto bem lá, além de ser o preferido do atual prefeito - aí não dá mesmo !

Amigos e parentes têm elogiado o bistrô da Reserva Cultural. Bons pratos, petiscos, e bem frequentado por uma galera, digamos, das nossas gerações. Tranquilo ir e voltar de táxi, para quem não arrisca ir de carro, como eu.

Jorge Carrano disse...

Que nossa geração, cara pálida? Nasci durante a II Guerra Mundial.

Riva disse...

Bota os óculos, amigo ..... rsrsrsrs ..... eu escrevi "das nossas gerações", ou seja, pessoas da minha e da sua geração. Um público calmo, sereno, da paz .....