28 de março de 2017

Diarreia mental

Rodrigo Janot  falou em disenteria verbal, em referência a Gilmar  Mendes.

Foi um revide do Procurador Geral da República, a uma crítica do Ministro do STF. Retaliação.

No STF, que é uma fogueira de vaidades, maior concentração de egos inflados por metro quadrado em Brasília, os ministros divergem doutrinariamente, o que não chega a ser uma heresia, e sim enriquecedor, divergem politicamente, o que é aceitável em se tratando de seres políticos, mas também não se respeitam como indivíduos, pares entre si.

Tudo porque falam demais, aparecem demais, alguns não resistem aos holofotes e às câmeras de TV e cinema.

Poderia encher várias laudas rememorando situações conflituosas, algumas grosseiras e ofensivas, que tangenciam a injúria. Mas não é o caso. Não preciso fazer críticas àquela maior corte de justiça, porque eles se criticam e definem mutuamente, denegrindo a imagem do tribunal e colocando o Judiciário, como um todo, na boca do povo, que por sua vez o atira na vala comum onde estão o legislativo e o executivo, rotulados como antros de corruptos, corruptores, incompetentes, fraudadores, e praticantes de outros delitos mais ou menos graves.

Eis algumas notícias veiculadas na imprensa, nos últimos mais recentes anos:

Gilmar Mendes ironiza Marco Aurélio.

Joaquim Barbosa volta de férias e reformula decisões tomadas por Ricardo Lewandowski que como vice-presidente do STF o havia substituído na presidência da Corte maior.

Gilmar Mendes, de novo ele, acusa Ricardo Lewandowski de tomar decisões absurdas.

Ele poderia pensar assim, e até externar esta opinião, à boca pequena, nos bastidores da corte, ou se publicamente à sorrelfa. Também eu achei sem verniz judicioso, sem bom senso, sem outra razão senão política, a decisão de Lewandowski. Eu poderia dizer isto de público, Gilmar não.


Joaquim Barbosa insinua que Marco Aurélio só foi indicado e depois nomeado  ministro do STF por ser primo do Fernando Collor, então Presidente da República.


Celso de Mello, decano (mais antigo ministro)  do STF, é imprevisível, segundo  alguns.


José Dias Toffoli, segundo a imprensa, quando nomeado era oco e despreparado, com biografia controversa, ou seja,  não poderia ser ministro da suprema corte de justiça do Brasil. Já havia sido reprovado em concurso para juiz de primeira instância

Todos, em certa medida, têm razão sobre os outros. Mas deveriam evitar vir a público para criticar. Acabam virando a notícia, com mais destaque do que o fato.

A imprensa, esta sim, mantendo-se nos limites do respeito, não necessariamente aos exercentes  das funções de judicatura, mas à dignidade do cargo que eles ocupam, podem divulgar suas opiniões.


Notas:
1) Jantar em homenagem a Alexandre de Moraes no dia de sua posse no STF, em 22 de março.
http://g1.globo.com/politica/noticia/jantar-em-homenagem-a-alexandre-de-moraes-reune-mundos-juridico-e-politico.ghtml

13 comentários:

Riva disse...

Vomitando sem parar ............

No Twitter começou hoje a sair tweets sobre a situação dos CORREIOS, um monopólio falido. Segundo informações, demissões em massa à vista.

E a Oi ? 65 bilhões negativa, impossível o saneamento, a menos que se divida por 200.000.000 ........

BRASIL BANDIDO

PS: Argentina perdeu de 2x0 para a Bolívia ; Chile acaba de fazer 1x0 na Venezuela.

#voltaKayla

Jorge Carrano disse...

Os Correios, a instituição, em pesquisas de opinião no passado, eram considerados dos mais confiáveis, disputando com bombeiros, igreja e imprensa o primeiro lugar no ranking de confiabilidade e eficiência.

Atingiram o estágio de falência ética, moral e eficiência.

Perderam a vergonha e a dignidade. Administrações partidarizadas levaram a este caos.

Riva disse...

Dos acima citados por vc, Carrano ........................

Jorge Carrano disse...

# VoltaKayla

Jorge Carrano disse...

Extradição de brasileira nata. Assunto polêmico.

Decisão surpreende.

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/geral/46792/supremo+tribunal+federal+autoriza+em+decisao+inedita+extradicao+de+brasileira+nata+acusada+de+homicidio.shtml

Jorge Carrano disse...

TRANSCRIÇÃO

Quem tem medo de Gilmar Mendes?

Por: Felipe Pena em 16/03/17 17:21

"Felipe, ele vai te processar e a tua vida vai virar um inferno" – disse um amigo, jornalista e editor, quando anunciei o título deste artigo.

Imediatamente, desisti de escrevê-lo.

Ontem, um ministro do STF abriu os salões de sua casa para comemorar o aniversário de um senador do PSDB que poderá ser réu em um tribunal do qual ele faz parte, mas não escreverei sobre isso.

Ontem, um ministro do STF, que também é presidente do TSE, discutiu a reforma política com delatados na lava-jato, mas não escreverei sobre isso.

Anteontem, o presidente da república nomeou o primo de um ministro do STF para o cargo de diretor da Agência Nacional de Transportes, mas não escreverei sobre isso.

No dia anterior, um ministro do STF relativizou o crime de caixa dois e disse que o ato ilícito era uma opção das empresas, mas não escreverei sobre isso.

Há meses, um ministro do STF vem comentando casos que poderá julgar, quase antecipando votos, o que fere a lei da magistratura, mas não escreverei sobre isso.

Há meses, um ministro do STF, que também é presidente do TSE, participa de jantares no palácio de Michel Temer, que é réu no mesmo TSE e será julgado pelo tal ministro, mas não escreverei sobre isso.

Há anos, um ministro do STF busca os holofotes da mídia e age de forma partidária, mas não escreverei sobre isso.

Meu amigo, o jornalista, tem razão. Ele, que também é editor de um jornal concorrente, me alertou para a ausência de críticas sobre a conduta do ministro na imprensa nacional e recordou a frase de outro ministro, dita no Palácio Laranjeiras, em 13 de dezembro de 1968.

"Às favas com os escrúpulos!"

O amigo faz questão de lembrar que eram outros tempos. Naquele dia de 1968, estávamos assistindo ao golpe dentro do golpe.

Hoje, não. Hoje, vivemos numa democracia.

Por isso, não escreverei nada.

Às favas com o artigo!

Felipe Pena é jornalista, escritor e psicanalista. Doutor em literatura pela PUC-Rio, com pós-doutorado pela Sorbonne III, foi visiting scholar da NYU e é autor de 15 livros, entre eles o ensaio "No jornalismo não há fibrose", finalista do prêmio Jabuti.

https://glo.bo/2mzgq2w

http://m.extra.globo.com/noticias/brasil/contra-a-corrente/quem-tem-medo-de-gilmar-mendes-21072586.html?utm_source=WhatsApp&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar

Riva disse...

Capturei pelo Whapp :

Advogado é Advogado, mas Polícia é Polícia...

Fato verídico acontecido em uma Vara Criminal da cidade de São Paulo, durante a arguição de um policial pelo advogado de defesa do réu, que tentava abalar a sua credibilidade...

Advogado: Você viu o réu fugir da cena do crime?
Policial: Não, senhor. Mas eu o vi a algumas quadras do local do crime e o prendi como suspeito, pois ele se trajava conforme a descrição dada do criminoso.

Advogado: E quem forneceu a descrição do criminoso?
Policial: O policial que chegou primeiro ao local do crime.

Advogado: Um colega policial forneceu as características do suposto criminoso. Você confia nos seus colegas policiais?
Policial: Sim, senhor. Confio a minha vida...Advogado: A sua vida? Pois bem, então diga-nos se na sua delegacia tem um vestiário onde vocês trocam de roupa antes de sair para trabalhar...
Policial: Sim, senhor, temos um vestiário.

Advogado: E vocês trancam a porta com chave?
Policial: Sim, senhor, nós trancamos.

Advogado: E o seu armário, você também o tranca com cadeado?
Policial: Sim, senhor, eu tranco.

Advogado: Por que, então, policial, você tranca seu armário, se quem divide o vestiário com você são colegas a quem você confia sua vida?

Policial: É que nós estamos dividindo o prédio com o Tribunal de Justiça, e algumas vezes nós vemos advogados andando perto do vestiário.

Gargalhada geral, inclusive do Juiz, que foi obrigado a suspender a sessão...

(pano rápido) rsrsrs

Jorge Carrano disse...

Advogado, você ainda vai precisar de um, portanto cuidado Riva.

Qualquer das piadas encontráveis no endereço a seguir é mais engraçada:

http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2011/03/piadas-sobre-advogados.html

Riva disse...

Espero sinceramente não precisar.

Dois deles (não você), tive que interferir para ensinar o caminho a seguir no processo, passo a passo. Aparentemente, chegavam nas audiências sem nenhuma noção do processo que defendiam, e sem alternativas, sem estudos de planos A, B ou C.

Pior, continuo encontrando casos assim na minha vida profissional, suporte zero ...... despreparo total !

Jorge Carrano disse...

Meu filho diz que não existe piada de advogado porque é tudo verdade (rsrsrs).

Eu me divirto horrores com as piadas.

Lembro de 4 processos nos quais atuei, que eram de seu interesse. Dois do condomínio: uma cobrança de inadimplente e um caso de acidente com o elevador. Ganhamos os dois.

E dois de interesse pessoal/familiar, também resolvidos.

Alias, Riva, nunca perdi uma causa em minha vida, porque cobro honorários antecipadamente. Quem perde, eventualmente, é o cliente (rsrsrs).

Riva disse...

Por isso mencionei que "não você" !!

Me impressiona o despreparo, o não estudo dos processos, para enfrentar uma audiência, com estratégia previamente desenhada.

Talvez por eu ser um cara com DNA de processos, seja exigente demais nesse sentido, mas numa boa, acho VITAL o estudo minucioso dos processos antecipadamente, simulações, ensaios de audiência, enfim, ficar mega preparado para o "embate".

E sinto que isso hoje é um diferencial, porque infelizmente não é praticado por 95% dos profissionais.

Tenho alguns "cases" para te contar um dia, decepcionantes, onde trabalho. Causas fáceis de ganhar, e perdidas, por falta de estratégia para enfrentá-las.



Jorge Carrano disse...

Riva,
Você pode pensar que é provocação, mas não é (rsrsrs).

Mas uma das mais importantes estratégias é não contar para o cliente qual será a estratégia.

Riva disse...

....mas e a ausência delas ? ......