25 de junho de 2016

Reino Unido versus União Europeia




O titulo poderia ser STRIKE. Todos os pinos que representariam os países do planeta foram derrubados, direta ou indiretamente.

Quando propus, numa brincadeira, apostas obre a permanência ou a saída do Reino Unido da União Europeia, estava muito longe de imaginar as consequências  que o resultado do plebiscito provocaria no mundo todo, em todas as áreas: econômica, financeira, social, desportiva e conexas.

A julgar por algumas entrevistas que assisti,  feitas junto a população em Londres, onde a propósito a maioria votou pela permanência do UK no bloco, muita agente está arrependida pelo voto dado.

Isto significa que, depois do anúncio do resultado, das reações em todo o mundo, das providências que serão necessárias, das intrincadas relações comerciais, da situação de imigrantes, e das perdas que todos sofrerão num primeiro momento, é que as pessoas, mesmo os britânicos, se deram conta de que não era uma decisão simples, puramente emocional, com análise perfunctória.

Levei um susto quando ouvi, no noticiário, diretamente do Japão, o repórter informar que cerca de mil empresas japonesas com sede no Reino Unido terão doravante  maiores dificuldades para vender aos demais 27 países da UE.

Não por outro motivo a bolsa de Tóquio teve uma queda de mais de 7% em seu índice.

O que mais me deixou apreensivo foi que esta decisão, pelo visto pouco pensada e avaliada em suas reais consequências, poderá levar a mais desuniões, nos dois lados.

Por mais irônico que pareça, posto que União Europeia e Reino Unido encerram, em suas denominações, a mesma ideia e conceito, ou seja, união ou unido, a decisão levará provavelmente a mais desunião.

A Irlanda do Norte, por exemplo, um dos quatro países que integram o Reino Unido, pelo visto preferirá manter-se no bloco europeu e buscar independência do Reino Unido. Como esta integração foi dolorosa e deixou cicatrizes entre os irlandeses do norte, este rompimento com o UK parece coisa muito provável.

No lado da UE é possível que outros países sigam o mesmo caminho do UK. Sem contar os movimentos separatistas regionais/nacionais, como o dos Catalães.

A unificação da Europa, pretendida no passado por Carlos Magno, através de conquistas militares, que resultaram na formação do Império Carolíngio, veio a ser alcançada por razões comerciais, sem sangue e sem guerra, resultando, em 1957, na formação da Comunidade Econômica Europeia (CEE), que mais tarde, com seu alargamento e novos tratados, transformou-se na atual União Europeia.

A propósito, diga-se que o Reino Unido não foi signatário do primeiro acordo que resultou na CEE, só aderindo muitos anos depois. E preservando sua moeda, a libra esterlina.

Registro aqui e agora que se fosse cidadão do UK, teria votado pela saída do bloco. Mas depois de saber das consequências e reflexos no mundo todo talvez viesse a me arrepender, como alguns já se arrependeram em tão curto espaço de tempo: menos de 24 horas.

Eu teria votado sim porque favorável a imposição de  barreiras aos refugiados. Acho que não faz sentido ver seu país invadido por hordas de imigrantes, a maioria sem qualificação, que seriam dependentes de serviços públicos, como assistência médica, e disputariam emprego com cidadãos do Reino Unido.

Mas existem outras soluções para o problema dos refugiados. Ou não? Lembro de uma frase do Paulo Francis, justificando que era a favor da causa dos pobres e necessitados, mas os  queria longe dele. É mais ou menos isso o que penso, você pode ajudar, na medida do possível, sem ter que trazer para dentro de sua casa.

Trump, que prega a mesma rejeição nos USA, está rindo a toa. 

39 comentários:

GUSMÃO disse...

Muita gente está apendendo a diferença entre Grã Bretanha (Great Britain), Comunidade Britânica ((Commonwealth), Reino Unido (United Kingdon) e Inglaterra (England).

É preciso conhecer um pouco de História e Geografia para entender esta intrincada relação, que envolve, entre outros países, o Eire (República da Irlanda), o Canadá, e outras nações independentes pelo mundo.

O Reino Unido (UK) foi o grande império onde o sol nunca se punha.

Jorge Carrano disse...

Vou ter que aumentar o preço da assinatura do blog.

Jorge Carrano disse...

Saí para a caminhada e vejo um aglomerado de pessoas, dezenas, fotografando com seus celulares. Ao me aproximar verifico que há um carro espatifado nas pedras, na altura da Itapuca.
A velocidade deveria ser muito alta, pois o veículo subiu no calçadão (e olha que o meio-fio é alto ali), rompeu a grade de proteção e mergulhou nas pedras.
Certamente o noticiário de TV irá mostrar a cena.

Jorge Carrano disse...

Os inconformados com o resultado e os arrependidos querem novo plebiscito. Novo referendo.

Leiam:
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/pedido-para-novo-referendo-no-reino-unido-supera-835-mil-assinaturas.html

GUSMÃO disse...

Aqui no Brasil também querem outra eleição. Até Dilma já aderiu, na esperança de salvar o PT com Lula.

Riva disse...

Muitos problemas pela frente, muitos mesmo. E não poderão votar atrás ...

Rachou mesmo, meio a meio, e isso é péssimo. Radicalização à vista.

A solução para os refugiados é ... não ter refugiados, não ter motivos para abandonar sua terra. E isso se consegue AJUDANDO dentro do país deles, investindo em desenvolvimento da infraestrutura deles.

Mas aí aparecem os xenófobos, ditadores e outras categorias, que impedem essa troca intensa de necessidades, como era originalmente no planeta Terra.

I can´t get no ...

Jorge Carrano disse...

Estão pleiteando novo referendo, Riva. Veja no link do comentário acima.

Riva disse...

Vamos fazer um também para novas eleições aqui .....

Tem candidadtos ? Ih !! não .... então deixa como está.

Impressionante se voltarem atrás e conseguirem um novo plebiscito. Inacreditável !

PS : que beleza as imagens da Eurocopa - torcidas, uniformes, gramados, futebol sem marra, sem malandragem, enfim ..... 7x1 sem fim.

Carlos Frederico disse...

Li que o referendo não é uma ordem. É uma expressão da vontade popular, que pode ou não ser aceita pelos políticos, que serão aqueles que tem a responsabilidade de executar o desligamento. Resumindo, mesmo o povo querendo o parlamento pode decidir que não é adequado...

Aos poucos caio na realidade que questão dos imigrantes foi o motivador principal do Brexit, apesar de que os ingleses nunca viram com bons olhos a adesão à UE. Haja vista manterem a libra. São extremamente conservadores.

Só que acho que essa questão (imigrantes) pode ser decidida através de normas e exceções às regras da UE, sem a necessidade de corte de todos os vínculos, o que será uma solução radical e de grande porte.

Sem contar que a vitória do Brexit foi praticamente dentro da margem de erro, ou seja, essencialmente metade quer, metade não quer. Como pode uma decisão tão grave ser tomada encima de um empate técnico? Males da democracia...

Jorge Carrano disse...

Pela Eurocopa, em jogo que terminou agora, o resultado do referendo se confirmou.
Gales que votou pela saída, ganhou da Irlanda do Norte, que votou pela permanência.

Jorge Carrano disse...

Freddy,
Menos do que imigrantes, foram os refugiados que invadem a Europa e não são imigrantes bem-vindos o que pesou no resultado.

Vale notar que Escócia e Irlanda do Norte, têm visão e interesses distintos da Inglaterra e de Gales, pois naqueles países o voto pela permanência foi significativo. Já nos dois últimos prevaleceu a saída.

Por fim, poderá o Parlamento contrariar o resultado do referendo, mas dificilmente os parlamentares farão isso. Só no Brasil os parlamentares decidem contra a vontade da população.


Jorge Carrano disse...

Mais de dois milhões de assinaturas por novo referendo.
Vamos ver se o Parlamento aprova.

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/06/25/peticao-por-segundo-referendo-sobre-a-ue-supera-1-milhao-de-assinaturas.htm

Ana Maria disse...

Na atual novela das 18 hs no plim plim, o protagonista repete sempre a mesma frase "Tudo o ue acontece devruim e para melhorar" (música de Paulinho Moska). Creio que isso se aplica bem ao momento atual na Europa.
A insatisfação é grande, não só no Reino Unido. Em outros países as manifestações pró desligamento do bloco europeu só tem crescido.
Com o resultado de ontem e a repercussão alcançada, algo terá que ser feito. A pressão vai ser grande pois a economia mundial sofreu um abalo.
Esperemos observando com atenção. É a história acontecendo.

Jorge Carrano disse...

A história acontecendo diante de nossos olhos. No nosso caso via TV.

Carlos Frederico disse...

Carrano, no Reino Unido eles são contra os imigrantes, já que grande parte de quem entra acaba se estabelecendo. Não venha com jogo de palavras para confundir a minha opinião.
Se não percebeu, faz tempo que você pratica bullying intelectual comigo. Qualquer participante pode falar a asneira que quiser, mas se eu dou uma opinião lá vem você catar nas entrelinhas algo para me chamar a atenção ou discordar. Assim não é prazeroso participar desse boteco.
Pronto, falei.

Vasco 2 x 1 CRB.
5 pontos de vantagem sobre o Vovô.
Portugal fez um jogo para esquecer com Croácia. Muito ruim mesmo. É tanto 1 x 0 que começo a gostar mais da Copa América.

Jorge Carrano disse...

Caro Freddy,
Se para você é prazeroso participar das conversas no "boteco" somente quando eu concordo com você, então teremos que combinar sobre as coisas nas quais combinamos. rsrsrsrs

Nem vou comentar sobre a Eurocopa para não desagrada-lo.

Quem, santo deus, neste blog fala asneiras? Vamos dar cartão vermelho.

Riva disse...

KKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkk !!

Berê, traz um Cabernet e duas taças para o Freddy e o Carrano, por favor. Eu pago !
Esse blog é demais !

Hoje assisti a Gales x Irlanda do Norte. Um horror.

Depois saí para almoçar e voltei a tempo de ver outra pelada : Portugal e Croácia simplesmente não conseguiam acertar um chute no gol. Valeu pelos últimos 8 minutos do 2º tempo da prorrogação, e nada mais. Ah, sim, e pela vitória de Portugal, claro.

Acabei de ver um bom jogo : Cruzeiro 2x1 Palmeiras. Dois times que jogam para o ataque.

PS : tivemos gol espírita hoje também .....

Riva disse...

Um pitaco sobre a Inglaterra, que infelizmente nunca visitei ...

Tenho um amigo que mora na Escócia, e um outro grande amigo que vai lá todo ano, porque sua filha mora lá, casada com um inglês. No momento ele está por lá, dessa vez para uma temporada de quase 4 meses.

Ambos dizem que a Grã-Bretanha é hoje uma ilha povoada por 5.903 etnias .... Londres então ... raros imóveis pertencem a um inglês.

Então a questão dos imigrantes não tem volta, faz parte há muitos anos da vida do cidadão por lá, frequentando juntos suas escolas, trabalho, bares, estádios, etc.

A questão dos refugiados é assustadora, embora eu, pessoalmente, ache que a Inglaterra é inalcançável pelo aspecto geográfico.

O exemplo mais simples que é dado no Twitter para justificar a vitória do Brexit é : não dá para Alemanha e Grécia terem a mesma moeda.

Jorge Carrano disse...

Três taças, Riva, uma para você beber com a gente.

E para o Freddy ficar contente porque vou implicar com outra pessoa que não ele, diria que você não especificou que cabernet deve ser aberto.

Convencionou-se que na falta de especificação a que cabernet nos referimos, a referência é ao franc.

Se você queria o sauvignon deveria ter especificado para a Berê (rsrsrs).

A franc de certo modo é mãe da sauvignon, pois foi a partir de um cruzamento entre a sauvignon blanc e a cabernet franc que surgiu a famosa cabernet sauvignon.

Jorge Carrano disse...

Riva,
Sobre seu pitaco, veja frase minha minha em comentário no post anterior a este: "Em síntese deve ser duro para o Reino Unido ficar ajudando aos gregos fazerem festa"

Riva disse...

Sauvignon rsrsrs

Jorge Carrano disse...

Boa pedida.

Jorge Carrano disse...

Você poderia ter feito bonito, Riva, se mandasse servir um Château Mouton Rothschild, que é feito com uma assemblage na qual entram as duasscepas cabernet. A sauvignon predomina com quase 80%, e a franc entra na proporção de cerca de 12%. Complementam outras castas.

No pub está a 460 euros a garrafa. Mas vale cada gota.

Kayla disse...

O pitaco do Jorge me reportou à fábula da formiga e a cigarra. Ashuashuashua

GUSMÃO disse...

Não sei nem escrever e nem pronunciar o nome deste vinho chatô.
Pode tomar em copo de geleia?

Jorge Carrano disse...

Gusmão,
Em copo de geleia você pode "degustar", no máximo, um Piagentini, de mesa, branco seco.
E não se diz tomar vinho e, sim, "degustar".
Pergunte ao Freddy. Acho que neste ponto nós dois concordamos (rs).

Carlos Frederico disse...

Não sou contra opiniões contrárias às minhas (são frequentes, sem problema). O que reclamo é da busca determinada do blog manager em tudo que eu escrevo para achar itens que possa contestar, o que não acontece em comentários de outros participantes do boteco. E não é de hoje. E não é complexo de perseguição, tenho sido aconselhado por quem assiste de fora (faz tempo, acreditem) a cair fora desse boteco.

Riva escreve o que quer e o que pensa sobre Copa América, Eurocopa, Fluminense, e não sofre nenhuma crítica feroz. No entanto, eu acabei de ser "poupado" de sofrer crítica sobre a Eurocopa, como se tivesse escrito alguma asneira. É ou não é uma espetadela proposital?

Fosse eu a opinar sobre Cabernet Sauvignon ou Franc, tendo ontem mesmo tomado um Gran Reserva Concha y Toro Cabernet Sauvignon 2009, provavelmente seria contestado sobre safra, sobre a posição do Gran Reserva na hierarquia da Concha Y Toro, sobre qualquer coisa, só para me irritar.

Normalmente participantes de boteco se comprazem em eleger um "pele", o cara que se irrita com críticas, mas relembro aos frequentadores que passamos da adolescência faz tempo...

Carlos Frederico disse...

Fui acostumado a achar os hinos nacionais brasileiro e francês (Marselhesa) os dois mais belos do mundo. A Eurocopa me mostra o quanto estou enganado. Há hinos belíssimos, hoje mesmo acabo de escutar um, o da Eslováquia.

Ana Maria disse...

Não ligue Freddy. O Jorge gosta de polimizar mesmo e vc não é o único a se ressentir. Aliás, o manager tb não é o único a exagerar no tom das críticas e ironias aqui neste espaço. Algumas pessoas mais sensíveis já se afastaram por este motivo.
Quanto aos conselhos para vc nos abandonar, pondere com cuidado. Aqui somos livres para retrucar as críticas e, de vez em quando tirar umas férias. Fique. Como dizem os operadores de marketing (escrevi certo, Riva?), sua presença é importante pra nós.

Ana Maria disse...

Ai. Saiu com erro. Leia-se polemizar

GUSMÃO disse...

Frequento eventualmente outros blogs, que tratam de assuntos de meu interesse.

São específicos, ou falam de política, ou de esportes, ou de artes plásticas ou cinema, etc, mas sem diversificar.

Neste blog, e esta é a diferença, mesmo quando o assunto é política ou futebol sempre tem uma pincelada de história, de mitologia, de literatura, etc.

Gosto muito.

Não conheço pessoalmente o Carlos Frederico, mas acho que em nenhum outro blog ele poderia expresar suas opiniões como aqui. Garanto.

Jorge Carrano disse...

Riva,
Você que conhece bem a família e amigos do Freddy, revela pra mim (em delação premiada), quem é que anda enchendo a cabeça dele e fomentando a discórdia e a desavença aqui neste pub.

Veja a frase que pincei em comentário dele: "tenho sido aconselhado por quem assiste de fora (faz tempo, acreditem) a cair fora desse boteco."

Duas coisas que não me conformo:
1) é alguém que assiste de fora. Ora, como dizíamos em minha infância "peru de fora não entra não palpita (não dá peruada)".
2) cair fora do "boteco" é ofensivo para com o nosso pub, de frequência seleta.

Entrega aí Riva.

Jorge Carrano disse...

Freddy,
Não é implicância não, mas você disse que os jogos da Eurocopa estão muito monótonos e os da Copa América estão melhores.

Hoje, domingo, assisti a três jogos muito bons, com 10 gols.
Alemanha 3X0 Eslováquia
França 2X1 Irlanda
Bélgica 4X0 Hungria

Três bons times: França, Alemanha e Bélgica

Carlos Frederico disse...

Eu também assisti bons jogos hoje. Mas já contou a coleção de 1 x 0 que teve na Eurocopa? Parece até o Vasco da era invicta (rs rs).
Os times da Copa América que pontuam alto na FIFA vêm se apresentando muito bem, e hoje teremos uma final digna.
Duro mesmo é assistir aos campeonatos brasileiros, estaduais ou nacionais, qualquer série.

Carlos Frederico disse...

Agradeço as palavras da Ana Maria.
Sobre atender aos conselhos para cair fora, eventualmente geraram um afastamento passageiro, um recesso aqui e ali de posts, mas sempre voltei assim que a cabeça esfriou.

Podem observar que tem gente que deve ter se aborrecido e simplesmente sumiu. Mas sou escolado, anos e anos e anos de debates insanos com minha falecida mãe sobre inúmeros assuntos na época bem maiores que minha capacidade de decidir. Não vai ser uma ou outra rusga que vai me afastar desse boteco.

Só não esperem que eu me mantenha calado quando minha canela for chutada!
<:o)

Jorge Carrano disse...

Os adeptos do Brexit estão reconsiderando alguns pontos.

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/the-new-york-times/2016/06/28/depois-de-vitoria-defensores-da-saida-do-reino-unido-da-ue-comecam-a-recuar.htm

Jorge Carrano disse...

O termo Brexit é a aglutinação das palavras Britain (Grã-Bretanha) e Exit (saída, em inglês). A discussão no Reino Unido, objeto do referendo, era a permanência ou não como membro da União Europeia (UE). As nações do Reino Unido são a Inglaterra, a Irlanda do Norte, a Escócia e o País de Gales.

Jorge Carrano disse...

A sutileza da realeza (rs).

http://extra.globo.com/noticias/mundo/rainha-elizabeth-diz-que-ainda-esta-viva-em-visita-irlanda-do-norte-gera-especulacoes-19597418.html

Jorge Carrano disse...

Matéria de hoje (11.07.16), no portal globo.com:

"O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, vai renunciar nesta quarta-feira, e a ministra do Interior, Theresa May, assumirá como premier automaticamente, já que ficou como única candidata remanescente na disputa pela sucessão de Cameron. May será a primeira mulher a ocupar o cargo desde Margaret Thatcher."

Digo eu, tomara que tenha o mesmo êxito de Thatcher.