2 de junho de 2016

Poste sem luz


Era voz corrente, e a imprensa repercutia, que dada a popularidade de Lula ele elegeria até um poste para substituí-lo ao final de seu segundo mandato.

Eu que não fora seu eleitor em nenhum dos dois pleitos nos quais se elegeu, torcia enormemente para que a bravata do próprio e a previsão de muitos não se confirmasse.

Se Lula já era uma problema para o país, imagina um poste. Eu preferia o José Serra, porque mais preparado culturalmente e politicamente. Se tinha, ou tem, alguns dos mesmos defeitos dos políticos brasileiros eu ignorava. Corrupto, acho que não.

Tinha acompanhado sua gestão em São Paulo, como prefeito e depois governador,  e sua atuação como ministro do planejamento e mais tarde da saúde.

Vejam sua trajetória político/administrativa e vivência parlamentar (foi deputado federal) e comparem com a de Dilma.

Daí que elegeram um poste sem luz. 

Como sempre faço, apuradas as urnas, expressei minha opinião abertamente, assumindo posição, e escrevi para jornais e revistas vaticinando o perigo que correríamos.

A revista VEJA publicou minha carta (abaixo), em sua edição nº 2190, de 10 de novembro de 2010. Era o primeiro mandato e portanto nosso primeiro período de trevas. Depois piorou, mas aí todos sabem no que deu. Eu avisei (rsrsrs).


Uma curiosidade nas cartas publicadas. Atentem para a opinião dos nordestinos: cearense e piauiense. Sem qualquer preconceito, até porque amo o nordeste. Mas o povo lá vive em outro país, em total abandono. Assim, quando surge um populista que dá uma bolsa ou duas,  faz discursos demagógicos e bota chapéu de cangaceiro na cabeça, vira um deus.


Aécio não foi o melhor nome escolhido pelo PSDB, e na primeira eleição da anta faltou apoio para o Serra. O vaidoso e ciumento FHC não moveu uma palha para ajudar o candidato de seu partido. Aqui em Niterói, quem tem boa memória há de lembrar, não se via um só cartaz, uma só faixa, um só santinho de propaganda do Serra. Ou seja, o partido também se omitiu.

9 comentários:

Riva disse...

Se convocarem eleições gerais para 2017 (o que eu apoiaria, pois acho um absurdo eleições de 2 em 2 anos), inexistem candidatos.

Parlamentarismo ? Sonho .... inalcançável numa sociedade corrupta. E se implementassem, seria com certeza corrompido, em pouco tempo.

A classe política está impregnada de coisas ruins até a 3ª ou 4ª geração. Só Papai do Céu poderia dar um jeito nisso !

Estamos muito mal mesmo. Não temos luz nem postes ...

Jorge Carrano disse...

Nós tivemos uma curta experiência parlamentarista, nos anos 1960, quando da renúncia de Janio Quadros. O vice era o João Goulart e resolveram que ele não poderia governar. Então inventou-se um parlamentarismo.
Com a medida, João Goulart ficou como presidente, mas teve seus poderes reduzidos significativamente. Os poderes retirados do presidente foram repassados para uma nova figura, o primeiro-ministro. Nesse período de 17 meses de parlamentarismo nos anos 1960, o Brasil teve três primeiros-ministros: Tancredo Neves, Brochado da Rocha e Hermes Lima.

Um plebiscito, em 1963, para que o povo decidisse entre parlamentarismo e presidencialismo, resultou na vitória deste último regime de forma avassaladora.

Carlos Frederico disse...

O jeito é uma monarquia parlamentarista.
Mas já sei: ninguém mais quer!
=8-/

Ana Maria disse...

Nós não temos lideres. A oposição é fraca e seus quadros são povoados por herdeiros e discípulos das raposas do passado.
Sou contra a antecipação das eleições. O país está precisando de um saneamento e os partidos necessitam urgentemente de uma desratização.
Neste momento, uma eleição poderia colocar uma das figurinhas carimbadas no sistema corrupto. Finda a Operação Lava Jato, indiciados, julgados e presos os envolvidos, a política brasileira vai ter que rever e alterar a legislação eleitoral.

Jorge Carrano disse...

Gostaria da monarquia parlamentarista, nos moldes, por exemplo, de Inglaterra e Espanha.

Mas proclamamos a República e ficamos todos pimpões. Independentes já éramos, a mudança da forma e regime de governo foi um erro.

E aqui no país o que mais se vê, são dinastias que se perpetuam no poder. São os filhos do Sarney, o neto do ACM, o sobrinho do Tancredo, o filho do Cesar Maia, e por aí vai...

Tudo sangue bom, como dizem os da marginalidade.

Carlos Frederico disse...

Concordo com Ana Maria mas vejo nisso uma Utopia.
Seria ótimo ver a Lava-Jato eliminar a maioria dos corruptos, pelo menos os maiores e mais danosos ao sistema. Sabemos, contudo, que as forças do mal se unirão para estancá-la no momento em que se aproximarem demais das "dinastias".

Riva disse...

Temer fazendo M.......

Não tem jeito. É entregar a Deus mesmo ! Só que parece que até Deus desistiu.

Jorge Carrano disse...

Está sendo investigado na Lava Jato e está doido para melar a apuração dos fatos. Ele teria adulterado vinho numas bodas, tingindo água com colorau.

Carlos Frederico disse...

Então tinha de ser colorau especial, porque os convivas o elegeram como o melhor vinho das bodas. Até comentaram, dizendo que em geral é servido o melhor no início e depois os de carregação. No caso, elogiaram como sendo exatamente o contrário!
<:o)