12 de dezembro de 2015

Balanço, fábula, mazela, queda e outros dissabores

Este ano morreu muita gente que nunca havia morrido antes. O mesmo não se pode afirmar (com certeza), em relação aos nascimentos. Será que nasceram pessoas que nunca haviam nascido antes?

Bem, sob o ponto de vista dos que creem em reencarnação, não haveria como afirmar  que não voltaram a este planeta, para complementar alguma missão,  ou aperfeiçoamento, espíritos já calejados.

E se alojaram em animais, bípedes, quadrupedes, rastejantes, com asas ou sem elas. Enfim, não seriam somente os espíritos de porco que nos atormentariam a vida. Deve ter espírito de veado também. E como, a julgar pelas novelas da Globo.

Mas peraí, o mesmo raciocínio sobre nascimento se aplicaria às mortes, pelo menos dos espíritos. É, pode ser, mas gora já está  escrito e não dá tempo de rever.

A grosso modo não foram muitas as novidades ocorridas este ano. Quase tudo é repeteco, déjà vu.

Senão vejamos. O Vasco volta à segunda divisão, de onde jamais deveria haver saído. Parece ser o seu lugar. A conferir. Mas 3 descidas em seis anos é regra geral e não exceção.

Por que três quedas em seis anos? Fácil! Nos últimos oito anos ele passou dois na segundona e, claro, não caiu (kkkkkk).

Dilma é como a Conceição, se subiu ninguém sabe ninguém viu. Deverá cair sem ter subido. Assim como a Porcina foi, sem nunca ter sido. Presidenta para uns, presidanta para outros, e motivo de piada para todos, no país e no exterior.

Arrá!!! Ando vendo, às escondidas, novelas do Globo? E daí? Quem não assiste?  A Globo nos impinge o Flamengo, a Beija-flôr de Nilópolis, o PT e suas novelas.

O Velho Chico, nosso bom e fiel Rio São Francisco está minguando. Pode ser que o programa de transposição, assim como faz o socialismo, nivele bem por baixo, deixando a todos sem água.

Talvez um canal ligando o sul do país ao norte/nordeste seja mais eficiente e confiável, porque sempre temos muitas chuvas e inundações no sul.

Serei forçado a usar o recurso de pedaladas neste balanço de fim de ano.  Tá difícil fechar o orçamento. Falta tinta para ficar no vermelho.

Mas Deus é grande e as coisas podem piorar, aí sentiremos saudades dos dias atuais.

Já pensaram mais três anos com Dilma?

Pois é, e eu pensando que o destino tinha nos preparado uma fábula como a da tenda do beduíno pobre. Lembram?

É pouco mais ou menos assim: o beduíno vivia se queixando da vida dura no deserto, sem água, calor infernal durante o dia e frio insuportável à noite, comendo cobras e lagartos  que se deixavam pegar por também estarem nas últimas.

Resolveu procurar o sábio de plantão e pedir um conselho. O conselho que lhe foi dado foi seguido à risca. O beduíno colocou seu camelo dentro da tenda que habitava.

Claro, sua vida piorou, o espaço ficou menor, o cheiro insuportável e até a água, que antes o camelo não fazia questão passou a querer seu quinhão.

Voltou ao sábio e relatou que sua vida piorou muito.

Tranquilo e sereno o sábio deu outro conselho, “pois agora retire o camelo da tenda e verá como sua vida irá melhorar”.

Por que não experimentamos tirar Dilma de dentro da tenda? Até os venezuelanos estão tentando tirar o camelo deles de dentro da tenda. Ouvi uma fala de um de seus líderes de oposição que é bastante pertinente: “se o governo não muda, mudamos o governo”. 

9 comentários:

Carlos Frederico disse...

Desde que me entendo como trabalhador, e incluo o período de aposentado, o sujeito que mais mal me fez à saúde se chama Antonio Delfim Netto. Durante o governo Figueiredo, quando ele foi secretário do Planejamento, quase perdi meu apartamento e minha vida virou um inferno financeiro.

Nunca mais, ao menos até hoje, nenhum governo me fez passar tão mal. Nem os anos da ditadura (à exceção desse Figueiredo/Delfim), nem a altíssima inflação (ciranda financeira), nem o confisco do Collor, nem hoje em dia. Tá certo, sofri um pouco no segundo mandato do FHC, época da caça às estatais. Mas era mais medo que realidade, já que não me aconteceu nada de mal.

Riva convidando disse...

Carrano foi falar de renascimentos, reencarnação, hmmmmm. Hoje acordei sobressaltado ! Que sonho mais louco esse de hoje .... Regras do Céu ? Vou contar um pouco do que me lembro do sonho.

Ok, ok, estou me remoendo há tempos, e confesso ... sim, eu fui um dos que surrupiou algumas folhas amarrotadas da cesta de lixo do Criador, em seu atelier. Passei por lá alguns milhares de anos depois do Carrano, e ainda tinha muita coisa largada por lá. Afinal, para Ele, o ontem era uma questão desprezível em termos de quando ...

Para relembrar fatos, releiam os sensacionais posts, nessa ordem contrária à da publicação :
http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2015/10/recadastramento.html
http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2015/10/recadastramento.html

E nos papiros que apanhei, lá estava o tal do Recadastramento, em detalhes. E sim, estava eu distraído no Poleiro das Almas, depois de assinar o Termo de Aceitação com seu inciso V do artigo 1314, quando uma voz celestial gritou “Senha 355.472.875” !! Era eu !

Tentei me lembrar que raio tinha eu descrito nas minhas preferências para reencarnar, mas não consegui de jeito nenhum, tamanha era a emoção no momento.

Para onde iria eu ? O que seria ? Meu Deus, não quero reencarnar como um jequitibá, motosserras não !!! Carrano me contou no Poleiro das Almas o que passou como um jequitibá na Terra ! Apavorante ! Cagado pelos sabiás a vida inteira, quase morto impiedosamente por madeireiros sem alma, e fincado ali no mesmo lugar durante décadas e mais décadas, sem jogo do Vasco para assistir, sem um bom vinho, sem uma jequitiboa por perto, sem discos de jazz para ouvir, sem a SKY, enfim, que vida desgraçada !!

Reencontrei Niterói, minha querida cidade no mesmo planeta, a Terra. O ano era 3.852 na minha contagem da reencarnação anterior. Numa rápida conversa com um habitante local, já percebi que Marte foi colonizado, que as mudanças na forma de se transportar e se comunicar são impressionantes.
Mas e o Brasil, no que tinha se transformado ?

Alguém se aventura a continuar esse sonho louco ?

Paulo Bouhid disse...

EU NÃO ASSISTO!!! Me inclui fora dessa.

Com relação à mulher sapiens, não há necessidade de toda a a tramitação de um impeachment. Bastava um teste psicotécnico!!

Jorge Carrano disse...

Caro Paulo, (do Avatar), não o do sonho, descobri, através de fonte fidedigna (alguém que frequenta a casa da família do porteiro do prédio em que você mora, e que é natural de São Gonçalo do Amarante, no RN. Este dito porteiro, nordestino de boa cepa, que não mente, contou para minha fonte que você assiste a programação da Globo, no VIVA. Tudo requentado (kkkkk).
Mais facilmente se pega um mentiroso do que um coxo.

Quanto ao proposto pelo outro Paulo, aqui Riva, sugiro uma pesquisa junto a taxistas, garçons, concierges e prestadores de serviços em geral, a exemplo do que fiz com a palavra flamengo, em http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2015/12/pesquisa.html

O resultado para brasil será alguma coisa como: antiquíssima madeira, extraída de uma árvore extinta, encontrável na mata atlântica, na costa do continente americano do sul, habitada por bugios e selvagens (alguns até antropófagos) onde lusitanos degredados e até membros da nobreza persguidos por Napoleão,tentaram se estabelecer, mas não deu certo.

Ou ainda, clube de futebol (que era praticado com uma bola esférica) existente na antiga civilização de Pelotas.

Ou, o mais deprimente de ouvir, pedaço de terra maravilhosa, com muita mata, água abundante, sol durante todo o ano, onde poderia ter sido criada e prosperado uma civilização de gente feliz ... mas o "fenômeno" PT, o El Niño da política botou tudo a perder. Destruiu tudo. Até mesmo o que o Collor (acreditem!) tinha feito de positivo, como acabar com reservas de mercado e liberar importações. Durante este período - do Collor - as carroças que aqui eram fabricadas foram substituída por automóveis construídos por montadoras de renome. Mas este PT é incontrolável por causa das constantes mutações.
Deveriam ter dado mais verbas ao Instituto Oswaldo Cruz, para desenvolver um pesticida capaz de eliminar a praga PT, pior do que HIV, Zica e Dengue juntas.

Carlos Frederico disse...

Concordo com Paulo, o Bouhid: um teste psicotécnico teria resolvido tudo.

Sobre o sonho de Riva, infelizmente estou com a criatividade desligada, concentrado em reler as Brumas de Avalon. Já nem me lembrava de mais nada, a não ser a ambientação dos 4 livros - rei Artur, Lancelot, Fada Morgana, etc.

Havia terminado de ler pela 3ª vez Friday (de Robert Anson Heinlein), 3 volumes de bolso. Gosto muito dessa história de ficção científica, que mexe muito comigo. Versa sobre a necessidade de se pertencer a algum grupo social, que seja uma família apenas. A solidão interior de quem é desprezado pela sociedade por ser diferente, a necessidade de se ver aceito, ser alguém para alguém, é pungente.
De certa maneira lembra a luta do robô de "O Homem Bicentenário" (baseado em história de Isaac Asimov) para ser aceito como pertencente à raça humana.

Riva disse...

Não captaram (menos Freddy) o jogo.

Fui ali .....

Jorge Carrano disse...

Seria capaz de jurar que entrei no jogo.

Carlos Frederico disse...

Pequeno "pitaco":
Acho que no ano de 3852 não haverá raça humana sobre a Terra, como nós a conhecemos. Após uma devastação total, provocada pelo descompasso entre os avanços tecnológico e social, alguns sobreviventes poderão ter migrado para outros mundos (Riva citou Marte, uma boa aposta). Quem tiver permanecido terá regredido à idade das trevas, sem tecnologia nem meio ambiente propício a uma vida digna.

Aliás, minha previsão é que o "ponto de ruptura" se dará entre 2050 e 2100, com uma degradação contínua daí para a frente. 3852 é longe demais...

Vejam que não aderi ao jogo sobre o que se encontraria olhando para trás e procurando o Brasil, dado que na minha visão a perda é planetária, não se resume a um país.

Anônimo disse...

Parabéns ao manager. Somente hoje o Renato Mauricio Prado (flamenguista com cara de boiola) falou em sua coluna sobre as três quedas em seis anos.