1 de novembro de 2015

Cenas inesquecíveis - antologia do cinema

Ao som de Moonglow,  Kim Novak seduz William Holden. A cena é arrepiante. O filme não é uma maravilha, mas a música e a bela atriz valem o ingresso. Ou o custo da locação, ou a mensalidade do Netflix.



Esta sequência é ótima. O filme muito interessante. E a música, um clássico, ganhou o Oscar e o Grammy do ano.



Mais divertido impossível. Ninguém se aproximou em matéria de humor. E no cinema mudo.




Quem nunca viu esta cena, utilizada ad nauseam em comerciais e em documentários sobre musicais e cinema em geral? A música tembém é excelente. Gene Kelly, um dos dois grandes coreógrafos e dançarinos das telas do cinema. O outro seria Fred Astaire.




Ursula Andress, bela atriz suiça, exibe plástica impecável. Bond, claro, não resistirá aos seus encantos. E este foi o primeiro filme da vitoriosa franquia.




Nota do editor: claro que estas cenas não esgotam as marcantes na opinião do blogueiro. Outras sequências  aparecerão em futuros posts.

11 comentários:

Jorge Carrano disse...

Coincidência.
Em sua coluna de hoje o Artur Xexéo trata dos filmes de sua vida.
Ainda bem que venho anunciando desde sexta-feira que faria isso. Senão seria acusado de oportunista, ter entrado na carona.
Não discutirei o gosto dele.

Jorge Carrano disse...

Outra coincidência é que selecionei cena do primeiro filme do James Bond (O Satânico Dr. No) no momento em que está sendo lançado um novo filme da franquia, estrelado por Daniel Craig.
Ninguém fez, ou fará, o personagem, melhor do que o escocês Sean Connery.

Paulo Bouhid disse...

Concordo com vc, Jorge, sobre o Sean Connery. Aliás, parei de ver a "série" depois que ele deixou o papel. Tentei... mas não consegui.

E ele, assim como o John Travolta, é um desses raríssimos casos de atores que conseguiram se "livrar" do estigma de "ator de um só personagem".

Segundo li, não sei onde, o Robert Redford era contrário à "cena da bicicleta", mas felizmente (pra nós) acabou voto vencido.

Jorge Carrano disse...

Em 2011, já externara minha opinião sobre Connery, e outros atores que deram vida a personagens, deixando suas imagens indelevelmente associadas aos mesmos.

Ver em:

http://jorgecarrano.blogspot.com.br/2011/07/ninguem-fez-melhor-do-que.html

Riva disse...

... e no entanto nunca ganhou um Oscar. Parece que apenas um de codjuvante ... lamentável. Aliás essa Academia é o maior jabá, tipo CBF e FIFA.

Paulo Bouhid disse...

Bem notado, Riva. Vão esperar ele morrer pra lhe render uma homenagem...

Jorge Carrano disse...

A rainha já lhe prestou homenagem, conferindo-lhe o titulo de Sir. Como fez, alias, com Elton John.

Jorge Carrano disse...

Aliás que Woody Allen, por exemplo, nomeado e vencedor várias vezes (como diretor e roteirista), nunca se interessou pelo premio. Marlon Brando, quando ganhou pelo desempenho em O Poderoso Chefão também não foi buscar a estatueta, mandou um indígena representa-lo.

Carlos Frederico disse...

Não estranhem minha ausência, é que não tenho mesmo o que comentar sobre cinema. Não sou fã nem tenho o costume de ver filmes, tirante um ou outro. Pra dizer a verdade, a única cena das mostradas que conheço é a de Carlitos no circo, mesmo assim isoladamente, pois não vi esse filme. Escolheria outras dele, como o Grande Ditador em seu escritório brincando com a bola/mundo. Ou ele preso nas engrenagens da fábrica em Tempos Modernos.

A do sapateado (Singing in the Rain) conheço de nome e de fama mas nunca a assisti. Nem a cena nem o filme.

Li vários romances com 007 mas o único filme que assisti foi a paródia de Cassino Royale com David Niven, Peter Sellers, Woody Allen, Orson Welles, Ursulla Andress e outros.

Portanto, sinto-me fora da banca examinadora (rs rs)
<:o)

Jorge Carrano disse...

Procure outro blog nos próximos dias, pois o assunto continuará sendo cinema. Filmes, atrizes, cenas marcantes.

Carlos Frederico disse...

Não se preocupe.
Já estou acostumado a passar batido.
Nada diferente de quando o assunto é política.