1 de novembro de 2015

Uma liga que desliga. Desune, não soma.

Que coisa mais sem sentido esta liga que criaram, juntando clubes do Sul, de Minas e dois cariocas.

Os torcedores do Fluminense ficarão orgulhosos de conquistar o título desta liga, que contará com a participação das importantes equipes do Joinville, Chapecoense, Figueirense, Coritiba, Avaí?

A sala de troféus ficará mais valorizada? E o rol de títulos mais importante? 

Que rivalidade deverá ser alimentada e resultará em piadas, tiradas de sarro, zoações? Que tradição tem o encontro entre o Fluminense e Chapecoense?

Não estou falando do outro carioca porque o nome dele  é vetado aqui no blog. Mas é o time dos urubus que vocês conhecem.

Estes dirigentes almofadinhas, executivos, ao invés de se reunirem para fortalecer o campeonato carioca (que há muito passou a  ser estadual), que foi o berço de clubes de tradição, que acabaram por conquistar torcedores em todo o país, resolvem inventar uma liga sem nenhum sentido lógico.

Os famoso clássicos FLAXFLU;  vovô (Fluminense X Botafogo); dos milhões (Vasco  X  Fla), têm muito mais apelo, charme, do que Fluminense X Cruzeiro, para citar apenas um dos clássicos da tal liga.

Como sacanear,  no local de trabalho, um cruzeirense, após um domingo derrotado pelo Fluminense? Por e-mail?  No twitter?

Acho e até torço, que nem sob o ponto de vista financeiro deverá ser interessante. Já aparecerem patrocinadores? A Globo está interessada?

Um Vasco e Flamengo, ou um Fla X FLU, enchem o Maracanã.

Ademais, um título que envolve equipes da região Sudeste, sem participação dos paulistas, é o mesmo que ter relações sexuais com camisinha.

Bola fora! Cadê o Francisco Horta? Cadê o Marcio Braga? Esses caras gostavam de futebol e sabiam fazer marketing, com resultados financeiros. 

30 comentários:

Jorge Carrano disse...

Esse Alexandre Kalil é de factóides, como o Cesar Maia. Embarcar na canoa dele é arriscar afundar.

Riva disse...

Há muito que os estaduais vem se esvaziando, encurtando em função do calendário anual. Na verdade, não existem em nenhum país, que eu saiba. Só por aqui, no país do 7x1.

O Carioca foi por muitos e muitos anos o campeonato de futebol mais importante da minha vida, na verdade, o único.

Mas os tempos passaram, as federações estaduais viraram um cabide de empregos e favores, centenas de famílias dependen dessa grana desse campeonato de 2 meses de duração, e então, tornu-se um problema social acabar com eles, em toda a federação.

Mas não há mais espaço para ele. A tal Liga que está sendo criada nada mais é do que uma célula, embrião, de uma nova e fortíssima liga, independente da corrupta CBF. É apnas um trampolim para daqui a alguns anos criarem o novo Campeonato Brasileiro de Futebol, independente do "estado".

E passaremos a ter o Brasileiro, a Copa do Brasil, Libertadores e Sulamericana. Estaduais morrem. E com eles morrem clássico dos milhões, clássico vovô, etc.

Novos tempos ...

Jorge Carrano disse...

Eu conheço cada palmo deste chão. Venho de longe. Menino, recortava os nomes dos jogadores, publicados nos jornais. Os jornais publicavam, nas segundas-feiras, os jogos, as escalações, os estádios, os públicos presentes, gols, juízes etc. dos campeonatos regionais e dos internacionais. As resenhas noturnas dos domingos informavam os resultados das competições dos países mais importantes.
E recortava estes nomes para com um pouquinho de goma arábica (para não borrar), colar em meus times de botão. Eu organizava torneios jogando sozinho. Cada jogada para um time. Inclusive com participação de “times” estrangeiros (eu conhecia os mais badalados jogadores).
Nenhuma capital no mundo, repito, NENHUMA, teria 12 clubes para organizar um torneio. Por isso nunca tiveram competições regionais.
Ainda hoje as capitais dos países onde existem as principais ligas, têm, no máximo, três grandes equipes.
Na Alemanha, uma das mais fortes e rentáveis, em Berlim tem o Hertha e mais nada. Em Paris, liga em crescimento, tem o PSG e lamba. Em Madrid tem o Real e o Atlético e ponto. Em Lisboa, além do Benfica e do Sporting, tem, vá lá que seja, o Belenense
Em Londres temos Arsenal, Tottenham, West Ham, Crystal Palace, Queens Park Rangers e Chelsea.
Só que tem o seguinte, com grande torcida, muitos títulos e história, existem o Arsenal e o Tottenham. Os demais estão na gangorra: sobem e descem. E o Chelsea é um fenômeno recente, que tem conquistados títulos em função da grana injetada pelo bilionário russo Roman Abramovich que comprou o clube. Mas ainda tem muito pouca torcida. E só em Londres.
No Rio ( e em São Paulo), tínhamos 12 equipes, todas com seus estádios (alguns bem modestos, mas tinham), sendo seis de porte grande/médio. Os pequenos perderam expressão (na minha família havia um torcedor do São Cristóvão, meu tio João). E sumiram. E mesmo os médios, como América e Bangu penam em segundas divisões.
Tirante o Flamengo, por causa da numerosa torcida, todos os demais clubes do Rio (Fluminense, Vasco e Botafogo) serão candidatíssimos a perderem importância, torcida, e rendas, quando houver liga nacional forte e organizada.
Menos mal que passarão gerações até que isso aconteça em função de nossa incapacidade para planejar, organizar e realizar qualquer coisa decente.
Vejam na Alemanha onde estão as sedes das equipes que disputam a Bundesliga em condições de vencer.
E na Inglaterra, Manchester e Liverpool possuem equipes com torcida em Londres, e mais, no mundo todo. No oriente (Japão, Coreia e China), o Manchester United tem grande torcida, que compra camisa e lota os estádios quando esta equipe faz por lá a pré-temporada (quase todo a ano).
Sem dinheiro, devendo até a alma, os times do Rio são sérios candidatos ao ostracismo. Os de São Paulo têm mais chance de sobreviver por causa do dinheiro (lá tem mais do que aqui).
Os mais jovens, ou desligados, não lembram ou não sabem, mas Vasco, Flamengo, Fluminense eram convidados todos os anos para disputarem os chamados torneios de verão na Europa. Atraiam público. E eram conhecidos.
Pergunte agora, em viagem pela Europa, se o cidadão comum sabe O QUE SÂO Vasco ou Fluminense. Nem pergunte quem são, pois pouquíssimos terão ideia que são equipes grandes no Brasil.
Equipes de Santa Catarina mais fortes que algumas cariocas são resultado de um passo errado. E essa liga dará mais visibilidade aos pequenos do interior do país.
Por mim, já adotei, há muito, um time de expressão internacional para poder torcer: Arsenal, na Inglaterra.

Riva disse...

Campeonatos regionais são inviáveis economicamente.

Foi-se aquele tempo que vc menciona e que eu também vivenciei dos jogos em Ítalo Del Cima, Rua Bariri, Conselheiro Galvão, Teixeira de Castro, Caio Martins, Moça Bonita, etc. Os times principais de hoje são caríssimos, não tem como sustentar jogos deficitários.

O único campeonato que pode ser rentável é o Brasileiro. Em 2 ou 3 divisões. E nós gastamos bilhões para construir estádios para a Copa, completamente vazios hoje, e sem manutenção, pq não há grana para manter.

Eu só torço pelo meu FLUMINENSE. Posso até ter simpatia por outro clube, fora do Brasil, mas torcer, impossível. Na verdade tenho até camisa desse outro clube, e saio com ela na rua, para espanto de alguns amigos rsrsrs.

Enquanto isso, o charuto do Eurico apagou !

Jorge Carrano disse...

A federação paulista acaba de renovar seu contrato com a TV, para o campeonato estadual, até 2019. Inicialmente serão 17 milhões anuais para cada equipe grande.

Quero ver esta liga propiciar tais ganhos aos grandes: Atlético, Cruzeiro, Internacional, Grêmio, Flamengo e Fluminense.

Assim como o falecido grupo dos 13, que seria o embrião de uma liga nacional, esta chamada de "primeira" (cópia da premier inglesa) também ira para o brejo porque a merda vai mudar, mas as moscas serão as mesmas.
Ou os dirigentes desta liga são alienígenas?

Jorge Carrano disse...

Quero ver numa liga nacional, o Internacional sair de Porto Alegre para jogar com o Remo (ou o Paysandu) em Belém. Já nem falo contra o Rio Negro, em Manaus.
Horas de viagem, clima e até fuso horário diferentes.
E disputar um campeonato nacional, concomitantemente com a Copa do Brasil e Libertadores ? Quando o ABC de Natal, estiver disputando? (por que não?) Não haveria acesso, com três séries em disputa?
Em nenhum país europeu as equipes grandes viajam por longas distâncias, tendo que viajar de véspera e enfrentar aeroportos sem infraestrutura adequada. E isso custa caro.
Nem mesmo na Champions as viagens são tão longas.
O que falta é imaginação, inteligência e boa-fé. Se os dirigentes fossem preocupados com o negócio futebol trabalhariam unidos.
E manteriam bons estaduais porque os clubes menores sempre foram, e poderiam continuar sendo, berço de grandes jogadores.
O que nós queremos ser aqui no Rio? Liverpool? Que tem metade da cidade azul e metade vermelha (Liverpool e Everton)
Ou Manchester com cidade e rivalidade entre vermelha e azul (United e City?).
Que clubes, no Rio, iriam sobreviver?
Vou torcer pela fusão do Vasco com o Botafogo. Ao Fluminense restaria a fusão com o Flamengo. Bem feito!!!

Anônimo disse...

Se tivesse uma liga organizada o Fluminense estaria na série c até hoje. Lembram do golpe?

Jorge Carrano disse...

Os banqueiros de jogo do bicho que, dizem, controlam as escolas de samba, são mais inteligentes e organizados.
Criaram a Liga Independente das Escolas de Samba, organizam os desfiles, vendem o produto para a Globo, e através dela para todo o mundo.
Gravam e vendes anualmente os CDs com os sambas, vendem fantasias para as alas, compram destaques para suas escolas (passista, mestre-sala, mestre de bateria, etc). ganham muito dinheiro com os ensaios em seus barracões.
As escolas têm torcidas apaixonadas, que vão aos ensaios e não perdem desfile no Sambódromo.
Nunca pensaram em liga nacional (insensatez).

Riva disse...

Se souber ler e entender um pouco de Matemática, vai a explicação para um possível torcedor Daquele Time do Mal, ou daquele time que vive das glórias de um passado distante, ou até daquele time que segura a lanterna e o charuto apagado :

http://testesdorafael.blogspot.com.br/2013/01/fluminense-e-o-acesso-da-serie-c-para.html

Essa desejada fusão de Vasco e Botafogo me lembra o ABRAÇO dos AFOGADOS, não sei por que ...... rsrsrsrsrsrs

E quanto às escolas de samba, eu me recuso a comentar qualquer coisa a respeito.

Anônimo disse...

Lembro de 1999. Fluminense campeão da série C. Três pontos a frente do São Raimundo, do Amazonas.
Mas ficou devendo a série B do ano 2000.
Criaram a Copa João Havelange, o Fluminense foi convidado.
Único time grande que tem o título de campeão da importante série C. (he he he he).

Os clubes apaulistas deveriam se unir ao Botafogo, ao Vasco e convidar duas equipes do Espírito Santo (Vitória e Rio Branco), o Americano de campos (que tem boa torcida), talvez o América de Minas e criar a Liga do Sudeste.
Seria mais interessante.

Jorge Carrano disse...

Caro Anônimo,
Pelo "sotaque" (rsrsrs), você é paulista. Sim, a ideia é interessante. Duas ligas. Uma com seu Coringão, outra com os urubus.
O Americano, de Campos dos Goytacazes, perdeu um pouco do prestígio que teve no passado. É verdade tinha torcida apaixonada.
O América, de Minas, não está nesta liga já criada?

Jorge Carrano disse...

Riva,
Nesta matéria o charuto do Eurico está aceso.

http://espnfc.espn.uol.com.br/vasco/caldeirao-cruz-maltino/3339-fluminense-ataca-mas-esquece-da-ajuda-de-eurico

Riva disse...

Essa matéria em que vc diz que o charuto daquele cara está aceso está boa para vc mixar com o assunto escolas de samba, mencionado em outro comentário, e gerar um post.

Não sei se o GE merece, mas que dá uma grande (em extensão) matéria dá. Se juntar com a Câmara, o Senado e o Planalto então .....

Me inclua fora dessa, como diz o grande senador Romário ! rsrsrs

PS : Gambás saindo da toca depois de quase 4 anos.

Riva disse...

Em virtude das dimensões continentais desse Brasil Bandido, o modelo mais viável para um Campeonato Brasileiro seria a realização das Copas Regionais, e um torneio final com :

Campeão e Vice da Copa do Nordeste
Idem Centro-Norte
Idem Leste
Idem Sul

Esse torneio final seria em realizado sempre em 4 capitais (1 de cada região), que mudariam a cada ano.

Altamente rentável regionalmente ! Vejam o exemplo dos números nordestinos.

Mas isso é para gente inteligente, que sabe fazer, como os americanos, que têm um país continental também.

Jorge Carrano disse...

Seria uma leviandade juntar os bicheiros (dirigentes das escolas de samba), como o pessoal do Congresso e do Planalto, como sugeriu o Riva.
Eles são o que são, sem disfarces.
Você conhece alguém que tenha sido lesado por banqueiro do bicho? Para eles VALE O QUE ESTÁ ESCRITO.
As Escolas de Samba, empregam trabalhadores durante todo o ano: costureiras, figurinistas, soldadores, eletricistas, escultores, etc.
Geram muitos empregos indiretos, em indústria e comércio de bebidas, tecidos, plásticos, instrumentos musicais.
Um carnavalesco custa tanto quanto um Tite.
Durante o ano grupos de passistas, velha-guarda, ritmistas, excursionam (também para o exterior).
Na semana seguinte aos desfiles promovem o das campeãs, com lotação esgotada.
Até a apuração dos resultados tem dia e hora certos, com transmissão pela TV (líder de audiência no horário).
Exemplo de organização e planejamento.

Jorge Carrano disse...

E tem mais, além do que já foi escrito em comentários anteriores.
As escolas de samba não precisam de almofadinhas “gênios” das finanças, para sanear suas despesas e arrecadar mais.
Os “gringos” pagam por suas fantasias. O pessoal da comunidade, sem recursos, recebe ajuda.
Alguns dos sambas são obras primas de poesia, de literatura.
É uma vitrine tão importante que artistas e celebridades estão sempre disponíveis.
Empresas compram camarotes para abrigar fornecedores e clientes importantes.
Os grupa A,B e C obedecem regras, horários, número de alas, participantes. E acesso e descenso ocorrem naturalmente.
Perguntem para a Globo se não é um ótimo produto. Vende todas as cotas de patrocínio e mobiliza um grande elenco de jornalistas e apresentadores.

Riva disse...

Amigo, em NENHUM momento mencionei a palavra BICHEIRO (grato por me explicar quem são) , e muito menos sugeri juntá-los com isso ou aquilo.
Sugeri sim mixar as MATÉRIAS em um post, que daria uma grande (em extensão) matéria, para debates. E pedi para me incluir fora dessa.

Português é uma língua complicada mesmo .... rs. O latim, que nunca estudei, me parece mais direto ,,, em poucas palavras se entende o recado.

Quanto às escolas de samba, como disse antes, eu não comento.

PS : falta muito para 2017 ? Obrigado, de nada.

Jorge Carrano disse...

O que teremos em 2017? Mudança de moscas?

Haja repetente!

Carlos Frederico disse...

A ingerência da Globo na Liga das Escolas de Samba levou à transmissão do desfile da 1ª escola de cada dia do grupo especial em reprise, já de manhã. É que o desfile começa às 21:00 e a programação da Globo não pode ser alterada...
Idem no futebol, com os jogos das 22:00...

Para terem direito ao "bloody money" (gordo patrocínio) as escolas preferiram o esquema de leilão da exclusividade. Ganhando a Globo, ela faz o que quer, até não transmitir ao vivo. Quem não lembra de como era legal antigamente quando tínhamos 4 emissoras transmitindo ao mesmo tempo?

A transmissão do "desfile das campeãs" no sábado, que tem imenso apelo turístico, também sofre com o leilão do patrocínio. As escolas se venderam e agora têm de sambar de acordo com a Globo, Band, quem quer que ganhe os leilões.

Carlos Frederico disse...

Futebol.
O Brasil não é Alemanha, França, Espanha, Inglaterra, Holanda... É todo mundo junto! Não dá para comparar os campeonatos nacionais de lá com o daqui. O Campeonato Brasileiro tem a dimensão (tamanho, não intensidade) de uma copa europeia de clubes, como se todos participassem juntos!

Portanto, há que mudar paradigmas. Uma pena, mas é o jeito...
Fico com a opinião de 4 ou 5 copas regionais (cada uma com seu acesso e descenso) que daria aos principais colocados - não sei se apenas campeão e vice - o direito de disputar o Campeonato Brasileiro.
Extinguiria a Copa do Brasil.
Não sei o que faria com os campeonatos estaduais, mas acho que eles morreriam por falta de datas.

Jorge Carrano disse...

Esse menino, Vinicius, tem enorme futuro pela frente.
Vamos guardar seu nome.

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/fluminense/noticia/2015/11/vinicius-time-e-torcida-ficarao-felizes-se-flu-ajudar-rebaixar-o-vasco.html

Riva disse...

Há vida inteligente por perto !! rsrsrs

Agora vejam essa de hoje : http://oglobo.globo.com/esportes/vasco-apela-ao-fluminense-para-evitar-novo-rebaixamento-17954992

O FLU pega Figueirense fora, e Avaí e Chapecoense em casa (até parece que o Maraca é campo neutro). E o lamaçal reaparece .....

Para vcs terem uma idéia de quão viral as mídias tornaram as torcidas, tenho uma p...... de seguidores que pedem ao time do FLU para perder os jogos e enterrar o Vasco/Eurico Miranda.

Eu sempre torci pelo RJ, e quero os 4 grandes do RJ na Série A, apesar do Eurico e do marginal Rodrigo. O Vasco é muito maior do que 2 figuras hediondas que não o representam.

Mas, infelizmente, como dizia um filósofo contemporâneo, Neri de Tal ... " A convivência diária nos transforma, animalescamente."

Muitas emoções. Enquanto isso, rola a Champions na telinha.



Riva disse...

Freddy, atenção com seus comentários, porque já tem pessoas elogiando a GLOBO e a informalidade reinante por aqui .....

Rsss ...... Falta muito para 2017 ?

Carlos Frederico disse...

Falando um tico de Vasco (apesar de ser uma inutilidade), para começar a conversar precisa vencer os jogos - fazer a sua parte. Se perder, pouco importa se Fluminense vai ajudar ou não. É tudo conversa para manter a torcida com assunto.

Outro dia ouvi um comentário no Bem Amigos sobre o Vasco. Tem jogado bem, melhor que os que estão na mesma situação que ele. Só tem um pormenor: o Vasco NÃO faz gols! E sem fazer gols, não vencerá as partidas mesmo jogando bem (o que não foi o caso contra o Fluminense).

Carlos Frederico disse...

Ocorreu-me uma análise, não sei se terá seguidores...

G-4B é igual a Z-4A.

Dito de outra maneira, quem termina a série B no G-4 entra na série A nos últimos lugares,ou seja, Z-4. Compete aos times saírem dali para ter o direito de ser pertencente à série A de fato.

O Vasco, portanto, é time de série B desde 2013 (minto, desde 2º semestre de 2012), pois que terminou no Z-4A, depois aos trancos e barrancos voltou em 3º na série B (correspondente ao 19º na Z-4A) em 2014 e ali permaneceu. Jamais reentrou na série A durante 2015.

Se a política não mudar, como fez em 2009 ou como o Botafogo vem fazendo agora em 2015, ficaremos frequentando o miolo da série B com risco de protagonizar o enredo de Bahia, Ceará, Fortaleza, Santa Cruz, que mal ou bem são times de grandes torcidas e que vão ao estádio, mas os times...

Jorge Carrano disse...

Só para registro histórico:

http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2015/11/rivalidade-parte-relembre-casos-em-que-vasco-ja-ajudou-flu-indiretamente.html

Jorge Carrano disse...

O peixe morre pela boca.
Alguns jogadores, dirigentes e torcedores do Fluminense, manifestando antipatia pelo Vasco, falam de entregar os jogos contra os adversários diretos do cruz-maltino.
A partir disto sempre restará a dúvida, em caso de derrotas do tricolor, se houve, ou não, amolecimento.
Uma bola dividida que o jogador não foi ou tirou o pé, uma furada que resulta em gol, um frango do goleiro, enfim qualquer jogada diferente provocará suspeita.
Se um o time não se empenhar de verdade, depois do que falaram e ameaçaram fazer, ficará uma nódoa. Atitude antidesportiva será o mínimo de acusação.
Tô falando que esta liga desune. E todos perderão. Principalmente o futebol.

Jorge Carrano disse...

Ainda os falastrões. Pode ser que aconteça e tudo leva a crer que acontecerá, mas realmente foi um desrespeito destes meninos do tricolor rebaixarem o Vasco antes da matemática.

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/fluminense/noticia/2015/11/marlon-tenta-encerrar-polemica-com-o-vasco-e-afirma-foi-um-ruido.html

Jorge Carrano disse...

Esta era uma torcida que tinha todos os dentes na boca, educação esmerada.
Eram até confundidos com homossexuais, tal a educação, o respeito que tinham.
E usavam o pó-de-arroz como sua caractrística principal.

Agora deu nisso de que fala a matéria:

http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2015/11/torcedor-do-fluminense-se-vangloria-por-agressao-vascaino-so-vitoria.html

Jorge Carrano disse...

A Nigéria é o novo "país do futebol". Pelo manos na base:

http://espn.uol.com.br/noticia/556353_nigeria-vence-mali-e-se-torna-a-maior-campea-do-mundial-sub-17-na-historia