18 de novembro de 2015

Impressões de viajante: Natal - 5




Por
Carlos Frederico March
(Freddy)







Como podem ver pelo título, é o 5º post sobre o mesmo lugar. Nada demais, já que esta é a 4ª vez que passo dias na capital potiguar. A cada estada, novo hotel, novas impressões que reforçam ou desfazem impressões anteriores.

Qual o objetivo dessa viagem? Eu adoro montanha, neve, lugares altos e frios. Contudo, talvez por ter sido criado em Niterói - RJ com seu privilegiado litoral de praias internas e oceânicas, acontece de vez em quando comigo: uma saudade imensa do mar, das ondas batendo e me embalando na hora de dormir.

Poderia ser Búzios, Cabo Frio, Guarapari, Prado, Sauípe... Por que a escolha de Natal? Ora, porque gosto demais da orla que vai de Ponta Negra até o final da Via Costeira. Lá praticamente não chove, a temperatura é amena e com muito vento, que ajuda mais ainda a diminuir a sensação térmica. A temperatura do mar, dizem, é mediana - não posso dar meu testemunho, jamais entrei na água das praias quando em Natal.

O testemunho que ora dou é baseado no Esmeralda Praia Hotel, que foi minha casa durante esses 7 pernoites, e seus arredores. Situa-se na área do calçadão de Ponta Negra, bem ao lado de outra maravilha, que é o Coral Plaza Apart Hotel. Todas as unidades têm vista do mar, em maior ou menor escala.

Calçadão de Ponta Negra em frente ao Esmeralda Praia Hotel

AÉREO E TRASLADO LOCAL

As passagens foram compradas com bastante antecedência pelo programa Smiles/Gol. O traslado foi particular, pela agência Anauê, uma das indicadas pelo hotel. Vôos e serviço de traslado ocorreram sem maiores percalços.

É interessante observar que já está em operação o novo aeroporto no município de São Gonçalo do Amarante (Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves) e a distância a Ponta Negra é de cerca de 40km. Quase empata com o de Confins, que atualmente atende a Belo Horizonte (41km).

Antigamente usava-se o aeroporto Augusto Severo em Parnamirim, que agora está sob coordenação da Base Aérea de Natal. A partir dele chegava-se a Ponta Negra pelo sul da cidade. Esse trajeto cruzava uma parte mais desenvolvida de Natal, mas nada mostrava de pontos turísticos.

O novo trajeto vem pelo norte, atravessando a ponte Newton Navarro sobre o Rio Potengi. Passa-se por bairros bem modestos próximos ao aeroporto, mas assim que se alcança a ponte, já se vê o Forte dos Reis Magos. Depois passa-se pela Praia dos Artistas, Via Costeira e enfim chega-se a Ponta Negra. É bem mais longo, mas com uma ótima vista do lado turístico da cidade.

ACOMODAÇÕES

Ficamos num dos apartamentos classe Deluxe / frente mar, apesar de termos pago tarifa menor. Ganhamos o upgrade na conversa durante a aquisição do pacote por telefone. Bom apartamento (#312), vista total para o mar, praia de Ponta Negra e piscinas internas. Os salões de uso comum são bem decorados e amplos, sendo que o visual moderno é amenizado com a colocação aqui e ali de peças antigas, muitas delas de colecionadores. 

Vista à esquerda da varanda do apto 312

Vista à direita da varanda do apto 312

Salão interior do Esmeralda Praia Hotel

Obra de artesãos italianos

No apartamento, ar condicionado split que, curiosamente, desliga assim que você abre a porta da varanda. Ao fechá-la, ele religa automaticamente. Sem problemas quanto a friagem excessiva, você pode escolher a temperatura ou até desligá-lo totalmente. Não, não cheguei a esse ponto. Na madrugada, vez por outra, apenas abria ligeiramente a porta da varanda, desligando-o. Ganhava como bônus o barulho das ondas na praia, a carência que me levou a fazer essa viagem.

Meia panorâmica noturna, vista da varanda do 312

ALIMENTAÇÃO

O pacote de uma semana foi adquirido na modalidade meia pensão, ou seja, café da manhã e jantar. Das 17 às 18 era fornecido um lanchinho típico, do qual não gostamos. Depois de experimentá-lo, não voltamos a ele.

Café da manhã honesto. Totalmente polarizado para a cultura nordestina, tinha aquela famosa refeição com jabá, jerimum, macaxeira, inhame, cenoura, batata doce e mais alguns itens de que não lembro. Não costumo aderir a essa culinária. Pra mim bastava a omelete de queijo e presunto (com apenas um ovo), pãozinho francês, café, algumas frutas, eventualmente uma tapioca doce.

O almoço não sei, não entrei uma única vez no restaurante nesse horário. Normalmente estava na beira da piscina petiscando e bebendo, com esporádicas caídas na  água refrescante. Petiscos havia os básicos: carne de sol, camarão no alho, iscas de frango, peixe e filé com batata frita ou macaxeira frita.

Sanduíches também tinha e custavam mais que os petiscos em geral. Talvez por isso não vi em momento algum serem pedidos nas mesas em torno da piscina. Sim, tinha também pratos prontos tipo filé com fritas e arroz, lagosta bem acompanhada, camarões fritos ou no molho de queijo, massa com molhos, mas era para quem quisesse uma alternativa à la carte.

Todo um menu de drinques, bebidas alcoólicas ou não e os famosos sucos. Meus amigos... Eu adoro caju quando se trata de suco. Nunca em minha vida tomei suco de caju tão delicioso! Consumimos jarras e jarras de suco, mais caipivodkas de caju. Era caju de manhã, de tarde, de noite! Mary ainda experimentou pina colada, disse que estava boa.
 
Tomando caipivodka de caju
Uma sorveteria italiana (Classico gelato italiano) atende a hóspedes e a passantes no calçadão. Tomamos sorvete quase todos os dias, era muito saboroso.

JANTARES

À noite, o restaurante realiza jantares temáticos, no nosso caso incluídos na meia-pensão. São 7, um para cada dia da semana. E aí começam nossas críticas: o que o Esmeralda Praia Hotel teve de pior a nos oferecer foram os jantares. Não pelos ambientes, ótimos. O restaurante possui uma parte fechada com ar condicionado, uma área externa coberta e ainda havia algumas mesas num salão interno. Quem quisesse ainda podia comer na beira da piscina. Mas vamos às noites, pela ordem:

Sábado - noite tex-mex: boa, uma das melhores da estadia. O feijão com carne moída estava realmente gostoso.

Domingo - noite portuguesa: um fiasco. O único prato mais ou menos português que comi foi um estranho bacalhau a Gomes de Sá que vinha totalmente desfiado e sem gosto. Os doces... o pastel de Belém era visualmente bonito, mas o recheio parecia aquele do sonho de padaria.
 
Algumas sobremesas da noite portuguesa

2ª feira - noite italiana: a não ser pela bancada de massa que era feito à sua escolha, mas com poucas opções, e isso tinha todas as noites, o restante não agradou. A pizza era ruim, as sobremesas idem. Outros pratos da culinária italiana não me apeteceram.

3ª feira - noite nordestina: razoável, para minha surpresa (não costumo aderir à comida típica). O escondidinho estava muito bom. O que ela teve de melhor, contudo,  foi a música, uma banda regional simples (sanfona, zabumba e triângulo) mas de alta qualidade - execução instrumental, voz e repertório.

Forró na noite nordestina

4ª feira - noite árabe: putz, que decepção... Alguém já viu chamarem purê de aipim com batata de homus (tradicionalmente pasta de grão de bico amassado com alho, limão e tahine)?? Pois eles chamaram! Kibes mal feitos, esfihas que pareciam pizzas minúsculas sem molho, um horror. Só se salvaram os charutinhos de repolho. Teve música que chamaram do ventre mas que era apenas uma dança árabe.

5ª feira - noite chinesa: foi o dia que escolhemos para sair e comer fora. Depois das recentes experiências, ficamos imaginando o yakisoba nordestino...

6ª feira - noite brasileira: boa. Junto com a tex-mex, as melhores da semana. Churrasco gaúcho de verdade, com farofa, fritas portuguesas, molho à campanha. Até bobó de camarão tinha, mas passei ao largo. Repetiram o excelente quindim de bandeja na sobremesa (não me lembro quando foi o primeiro), coroou bem a noite.

RECREAÇÃO

O Esmeralda Praia Hotel tem uma área de jogos de salão, que inclui até sinuca oficial. Não tem sala de TV, apenas uma num canto da recepção. Pequena. Falando de TV nos quartos, pra quem gosta de esportes não tem os canais SporTV, apenas ESPN e Fox. Acho essa uma falha lamentável. De qualquer maneira, a TV do quarto só foi usada para ver o jogo Argentina 1 x 1 Brasil, que passou na Globo.
 
Relax após hidroginástica

As atividades recreativas começavam às 10h na piscina. O menu básico: alongamento, hidroginástica, aula de dança, jogos de adivinhação. A trilha sonora se mantinha até as 19h, quando começava o jantar. Então havia música ao vivo bem em frente à área descoberta do restaurante. Alternaram nordestina (sanfona, zabumba e triângulo), voz e violão (MPB), e pagode mal tocado e em alto volume!

De todas, as únicas que me prenderam atenção foram as apresentações nordestinas. Bem tocadas, boa voz, repertório muito bem escolhido, com clássicos da região. Aliás, o único jantar em que a música combinou com o tema foi na noite nordestina. Nos demais, nada combinava com nada... Exceção: meia hora de danças árabes.

O suplício, quero dizer, a música ao vivo nos jantares temáticos tocava de 19h até as 22h, quando finalmente o bem merecido silêncio baixava. Apenas o ruído das folhas ao vento e das ondas no mar eram ouvidos.

A recreação externa, não ligada ao hotel, era adequada a aficionados por esportes aquáticos. Boas ondas mais para o lado do Morro do Careca mantinham a praia de Ponta Negra cheia de surfistas nas horas de maré enchente. Observei a prática de kite-surf com parapente em determinados momentos de vento forte e estável.

EXTRAS

Não participamos do City Tour de cortesia do Esmeralda Hotel, seria um exagero fazê-lo pela 4ª vez. Ainda mais que a atração mais interessante dele, que é a visita ao Forte dos Reis Magos, estava temporariamente suspensa para reformas. Também declinamos de ofertas feitas pelas inúmeras operadoras de turismo, queríamos apenas permanecer no hotel.

Calçadão de Ponta Negra, Morro do Careca

Além de duas ou três voltas no calçadão, com compras de itens locais nos camelôs e tendas, nossos extras foram uma visita ao Shopping do Artesanato de Ponta Negra e uma saída noturna para comer fora.

No Shopping de Artesanato fizemos algumas compras. Não muitas, nossa vida agora é mais limitada em termos de espaço e a verdade é que já temos praticamente tudo. Um ou outro item para renovação e outros para presentear foram adquiridos.

No dia do jantar chinês escolhemos ir à Pizzaria e Creperia Cipó Brasil, muito conhecida e apreciada - já a conhecíamos de recente estada. Hoje em dia vários restaurantes aderiram à prática de traslado gratuito de clientes e assim foi com a Cipó Brasil. A pizza era bem recheada, saborosa, e as caipivodkas de cajá e kiwi estavam boas. Contudo, nenhuma delas superou a de caju do Esmeralda Hotel.

Pizza na Cipó Brasil

CONCLUSÃO

A expectativa foi alcançada: curtir um bom hotel de praia em Natal, vendo e ouvindo o mar dia e noite. Demos sorte com a meteorologia, choveu fraco apenas numa noite. Nuvens aqui e ali, complementando o vento incessante que amenizava o calor. Quando batia o sol... haja protetor! 

Um ponto alto a destacar - e importante - foi a qualidade do atendimento no hotel. Pessoal atencioso, solícito, bem treinado e com bom astral. Não houve um senão nas centenas de itens da conta semanal. Fantástico.

Posso dizer o mesmo nas lojas de artesanato que frequentamos e ambulantes. Todos atenciosos e de bem com a vida. Nenhum deles chato nem grudento.

Aí você pergunta: voltariam uma 5ª vez?
Não tão cedo, será nossa resposta.

Já visitamos Natal por 4 vezes. Tivemos diversas experiências, desde a primeira quando fizemos os programas básicos do turismo local, incluindo passeio de buggy às dunas de Genipabu. Gostamos de visitar Pipa (em 2 das viagens) mas não do complemento desse passeio, que é ficar de 2 a 3 horas numa praia limitada por imensas falésias. Bonito de fotografar, mas chato para quem não curte entrar na água salgada.

Em termos de hotelaria, temos um ranking pessoal:
1º - Ocean Palace  (em 2002)
2º - Esmeralda Praia (em 2015)
3º - Rifóles  (em 2013) - estada prejudicada por obras
4º - Parque da Costeira  (em 2003) - 2 pernoites durante uma excursão CVC

Se lá voltássemos, experimentaríamos decerto o Coral Plaza Apart Hotel, que fica ao lado do Esmeralda Praia e, além de mais sofisticado, é mais calmo. Talvez mais aderente à nossa personalidade.

Contudo, o mais provável num retorno ao Nordeste será repetir Salinas de Maragogi (AL), de longe o melhor resort de praia que conhecemos até hoje. Tem um sistema All Inclusive irretocável! Poderíamos também arriscar voltar a um dos diversos do complexo Costa do Sauípe (BA) - apesar das críticas, podendo ainda escolher algum resort por nós desconhecido mas elogiado nas críticas no Trip Advisor.

Em que época? Bom, baterias recarregadas quanto ao fundo musical das ondas no mar, acho que só daqui a no mínimo um ano. Não antes. Exceção? Um eventual fim de semana em Búzios, para conhecê-la.



Créditos: fotos do acervo do autor

13 comentários:

Carlos Frederico disse...

Justificando o fato de ser o 5º post sobre Natal, os 4 primeiros se referem a estada no Hotel Rifóles, de 18 a 25/05/2013. Três deles publicados logo após a viagem e depois um 4º post publicado em 2014 com fotos complementares. Para os interessados, informo os posts com respectivos links (copiar e colar em seu navegador):

28.05.2013 - Impressões de Viajante: Natal - 1
Tópicos: apresentação inicial de nossa estada no Hotel Rifóles, com 1 foto
http://www.jorgecarrano.blogspot.com.br/2013/05/impressoes-de-viajante-natal-1.html

05.06.2013 - Impressões de Viajante: Natal - 2
Tópicos: Descrição do city tour em Natal com algumas fotos.
http://www.jorgecarrano.blogspot.com.br/2013/06/impressoes-de-viajante-natal-2.html

15.06.2013 - Impressões de Viajante: Natal - 3
Tópicos: apresentação de fotos tiradas no Hotel Rifóles, em especial aquelas clicadas logo após a aurora e à noite, com a pequena câmera Sony WX80.
http://www.jorgecarrano.blogspot.com.br/2013/06/impressoes-de-viajante-natal-3.html

03.07.2014 - Impressões de Viajante: Natal - 4
Tópicos: revisita um ano depois ao arquivo de fotos tiradas durante a estada no Hotel Rifóles, com atrações de Ponta Negra, Pipa e Cacimbinhas
http://www.jorgecarrano.blogspot.com.br/2014/07/impressoes-de-viajante-natal-4.html

Jorge Carrano disse...

Reitero comentário em "Impressões de Viajante: Natal-1"

Obrigado, Freddy.
Continuo contando com sua colaboração, inestimável, para sobrevivência do blog.

Falta pouco mais de um mês para o Natal 2015, mas para visitar a cidade sempre será tempo oportuno.

Carlos Frederico disse...

Dizem que nesse Natal Papai Noel vai vestir azul.
Acredita?
<:o)

Riva disse...

Mais um ótimo post sobre viagens, com dicas excelentes, que dá muito suporte a quem quiser ir para esse local.

Nunca fomos a Natal. Na verdade, do nordeste só conhecemos Fortaleza e arredores, Salvador e Recife/Olinda. Ouvimos coisas muito boas de amigos que foram a João Pessoa e Maceió.

Em relação a hotéis ou resorts, nosso "expertise" é quase zero. Em todas as nossas viagens, hotel é para dormir, tomar um bom banho e traçar um bom café da manhã - quando vale a pena. Digo isso porque, no exterior principalmente, é muito caro o café da manhã ; preferimos incursões em delis e padarias, ou abastecer o quarto. Não almoçamos nem jantamos em hotéis, e raríssimamente vamos a piscina, sauna, bar, eventos, etc.

Essa Praia de Ponta Negra faz parte de Natal, correto ? É como se fosse aqui Camboinhas, por exemplo ? Você pode sair para almoçar e jantar em bons restaurantes por perto ?

Tenho a impressão que não terei a experiência de um resort, exatamente porque sempre escolhemos locais para atividades fora do hotel.

Mas é um belo passeio e descanso para quem gosta, a sós ou com outros casais.


PS : Será que lá tem serviço de fazer vinco em calças jeans?

Carlos Frederico disse...

O Esmeralda Praia Hotel não é um resort. É apenas um bom hotel com recreação, nada demais. Como o Rifóles e demais hotéis da Via Costeira e Ponta Negra. Um ou outro poderia ser classificado de resort, mas nem compara com, por exemplo, Salinas de Maragogi (AL) ou Costa do Sauípe (BA).

Ponta Negra é um bairro costeiro no lado sul de Natal, onde tem a maioria dos bons restaurantes e bares da região. Para pessoas que gostam de passear de dia e sair à noite pra jantar, recomendamos pagar estadia com café da manhã, apenas.

Ponta Negra é o bairro mais animado de Natal, tem excelentes bares e restaurantes, sendo um dos mais famosos o Camarões, que tem em mais de um endereço. Hoje em dia, os melhores fazem serviço de traslado pois o bairro é grande e os restaurantes bem espaçados entre si - a menos das muvucas do calçadão de Ponta negra, muito frequentadas. Aí dá para ir e voltar a pé para quem está hospedado no calçadão.

Quem se hospeda na Via Costeira se ferra um pouco, pois ela tem cerca de 11,5km de extensão e há ótimos hotéis bem distantes de Ponta Negra, apesar de ser a mesma praia. Diria que é como estar no Recreio e querer se divertir nos diversos bares e restaurantes da Barra...

E tem Pipa... Longe!

Carlos Frederico disse...

Relembro que certos resorts, tanto de praia como de interior, ficam muito longe do centro nervoso, inviabilizando o cotidiano de quem acha que hotel é pra dormir. Resort é para quem quer ficar "internado". Os que citei: Salinas de Maragogi (AL) e Costa do Sauípe (BA), posso acrescentar Rio Quente Resorts (GO), ficam longe da civilização e foram feitos para fazer check-in, esquecer o carro, e depois fazer o check-out. No máximo alguns passeios agendados em agências de turismo ou com carro alugado.

Carlos Frederico disse...

Aproveitarei para fazer um "comercial".
Minha filha Flávia abriu um blog chamado "Apaixonados por Hotéis". Apesar do nome, fala de destinos em geral. Vez por outra vai dissecar um único hotel - como estou fazendo neste post com o Esmeralda Praia Hotel. Começou em grande estilo, falando de suas experiências nos EUA - costa oeste.
Para quem quiser visitar, acesse o link a seguir (copiar e colar no navegador)

http://apaixonadosporhoteis.com.br/

Ana Maria disse...

Como sempre uma excelente crítica de viagem. Os irmãos March possuem esse dom de nos levar pelos roteiros que percorrem. Parabéns.

Carlos Frederico disse...

Ana, obrigado pelo elogio.
Aproveite para ver se a filha de um dos March (a minha rs rs) também tem esse dom. Visite a página de seu blog recém lançado, link mostrado acima.
<:o)

Riva disse...

Li a matéria da Flavia e está muito bom, alegre, irreverente, dicas em detalhes, boas fotografias, estréia nota 10 !!

Isso sem falar que foi começar logo pela ..... AMERICA !! rsrsrs, e pela ....CALIFORNIA !!! (pano rápido).

Flavia deixou seu coração em Sausalito, um povoado logo na saída de San Francisco através da Golden Gate. Realmente ........... é demais mesmo ! Bati muitas fotos de motociclistas pelas ruas de lá, todos com lenço na cabeça - capacete não é obrigatório.

A CALIFORNIA é um lugar mágico, sem dúvida.

PS : e lá vc não vai encontrar alguém que faça vinco na sua calça jeans ! por grana nenhuma ..... se recusam !!

Ana Maria disse...

Visitei o blog de sua filha, Freddy e pude constatr que ela possui o talento do pai e do tio.
Tentei deixar um comentário, mas errei o tal código e o texto apagou. Fiquei com preguiça de digitar de novo. rs
Parabéns a Flavia e ao pai coruja.

Carlos Frederico disse...

Ana Maria, conversei com Flávia e ela disse que havia um comentário seu no post "Vamos para Las Vegas", colocado ontem (19/11) às 11:02PM. Fui lá conferir e é verdade. Ela até respondeu a você, agradecendo.

Flávia também disse que vai fazer testes digitando errado o capcha para ver o que acontece. É que o blog ainda é muito novo e algo pode estar necessitando de ajustes.

Abraços
Freddy

Carlos Frederico disse...

Mera comparação.
Antigamente as fotos publicadas nos posts eram maiores.
Basta comparar o atual com, por exemplo, o Natal-2.
Não são apenas os meus posts. O de Búzios, para dar exemplo recente, também tem fotos em tamanho pequeno no post.
Já observei que, clicando nas fotos, elas aparecem num tamanho razoável. É uma saída para quem quiser admirar as fotos em sua glória, mas não deixo de estranhar a mudança de formato - e isso já faz tempo...
Abraço
Freddy