5 de novembro de 2015

Bardot e outras divas

As imagens dispensam comentários. Até porque seriam óbvios. E as senhoras presentes não aprovariam. 



Este filme foi considerado impróprio. Um escândalo na época. Acho que por causa do colesterol da manteiga. Se fosse margarina passava na censura.




Emmanuelle, com Sylvia Kristel.




Damage, com Jeremy Irons e Juliette Binoche. Por isso uso suspensório, quem sabe a Juliette aparece no escritório?



Atenção senhoras, não tentem fazer isto em casa. A cobra pode dar uma picada e a bebida escorrendo de sua perna irá manchar a toalha.







3 comentários:

Carlos Frederico disse...

Decerto a dança com a cobra albina é muito sensual, até porque a atriz é bonita.
Hoje em dia é número corriqueiro, já teve até em Niteroi num daqueles restaurantes da subida da estr. Froes. Obviamente sem o complemento na mesa...

Vou ver se mando por email o poster de uma de minhas musas, a cantora Simone Simons do Epica (heavy gótico melódico) enrolada numa dessas cobras albinas. Ela fez a performance num dos shows da banda.

Riva de Boca Aberta ,,, disse...

Deus meu !!! Essa cena da Salma Hayek é para mim a mais sensual que já vi na minha vida no cinema !!!

Inigualável, sensacional !!!

E o que vcs viram de artistas famosos na platéia, que fazem parte do filme, estupefatos, de boca aberta, é realmente a reação natural de todos, segundo quem trabalhou na cena.

Demaisssssssssss

Paulo Bouhid disse...

Que saudade me deu .......... ao ouvir "Au revoir", com Gilbert Bécaud. Música obrigatória nas domingueiras do Várzea, em Terê!!