4 de junho de 2017

REPERCUTINDO


Merval Pereira

Robin Hood
Abordou um defeito de nossa formação, temos malvados preferidos.
Verdade, sou eu que digo, teve gente achando que o deputado Roberto Jeferson, acabou por nos fazer um favor, pois ao abrir a boca facilitou o processo do mensalão.
O também deputado Eduardo Cunha, atolado até o pescoço em processo de corrupção, foi peça importante no impeachment de Dilma, o que para muitos foi muito bom para o país.
Os Odebrecht, Emilio e Marcelo – pai e filho – ao abrirem o jogo revelaram uma imensa rede de corrupção nos poderes da República. O lamaçal alcançou os pés de Lula e da quadrilha albergada no PT.  Muito bom para o país, segundo muita gente.
E os irmãos Batista – Joesley  e Wesley – com desplante e  cinismo, revelaram o que desconfiávamos, ou seja, a promiscuidade nas relações dos empresários com a classe política, que resvala para o judiciário. Joesley disse para o presidente que, pasmem, tinha no bolso um juiz e seu substituto.
Em todos estes casos tem gente achando que há um vetor heroico, corajoso, vilania positiva. Temer pode cair, o que para muita gente é bom para o país.

Ancelmo Gois e outros colunistas

No Ancelmo Gois e outras diversas colunas, nos periódicos mais tradicionais, notícias de fechamentos e entrega de chaves.
Na zona sul do Rio, no Leblon, foi a loja Roberto Simões, de presentes finos.
Em Ipanema foi a Toulon, grife de roupas.
No Centro do Rio, na Rua da Carioca, de tradição de comércio diversificado e popular, a do conhecido Bar Luiz, foi a vez de fechar as portas o restaurante Cataroca, que não é do tempo em que trabalhei lá, no nº 4, local de funcionamento do Banco Metropolitano, bem defronte ao Bazar Francês (brinquedos pra mim e pra vocês, lembram?). Mas consta que o restaurante funcionou lá por 20 anos.

Elio Gaspari
Publicou notinha sobre a população carcerária. Ressaltou que 60% composta por negros. Verdade! E pobres.


Mas chamou a atenção para um fato importante. A Lava-Jato não mandou prender nenhum negro. E muitos brancos e ricos estão atrás das grades.
Digo eu: o que isto prova? Não há negros na política? Não há negros empresários? Negro só comete crime comum? Negro é esperto e não se deixa ser gravado e filmado. Os negros são honestos? 
Precisamos criar um sistema de cotas para corrupção (rsrsrs).

2 comentários:

Ana Maria disse...

A população brasileira possui 54% de negros, segundo Censo de 2010. Logo o percentual da população carcerária não foge muito a proporção.
É sabido também que se considerarmos a situação sócio econômica, os afrodescendentes são maioria na base da pirâmide. Isso explicaria a menor participação deles em crimes de colarinho branco.
Existem políticos da raça negra (que inclui mulatos e pardos) envolvidos em corrupção, mas em proporção menor.

Jorge Carrano disse...

Opinião de Luiz Fux:

— Eu acho que Joesley e Ricardo Saud ludibriaram a Procuradoria, degradaram a imagem do Brasil no plano internacional, atentaram contra a dignidade da Justiça, mostraram a arrogância dos criminosas do colarinho branco. A primeira providência a ser tomada é prendê-los — afirmou Fux.

O ministro destacou que a prisão deve ser pedida, e não pode ser tomada de ofício pelo STF, ou seja, por conta própria. Ele sugeriu que a PGR peça isso.

— Eu deixo ao alvedrio do Ministério Público a opção de fazer com que os participantes dessa cadeia criminosa passassem do exílio em Nova York para o exílio na Papuda. Gostaria de sugerir isto aqui em meu nome pessoal e eventualmente daqueles que concordam com minha indignação — disse Fux.


Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/a-primeira-providencia-ser-tomada-prende-los-diz-fux-sobre-joesley-saud-21793476#ixzz4rw2nIEM8
stest