26 de junho de 2017

ABSURDOS

O Município do Rio de Janeiro não está, ainda, no estado de penúria financeira que paralisa o Rio de Janeiro, Estado.

Mas vamos e venhamos, com tantas obras incompletas, inacabadas e abandonadas após os eventos Copa do Mundo de Futebol e Olimpíadas, em 2014 e 2016, respectivamente, é inaceitável, pior, é indecente que tenham sido concedidas isenções tributárias da ordem de um bilhão, isso mesmo, bilhão, e mais seiscentos milhões de reais.

Não estou delirando, tomei todos os remedinhos hoje, estou lúcido, com as funções cognitivas funcionando plenamente. Fiz o teste e passei: meu nome é Jorge, tenho 77 anos de idade e moro no Ingá. Viram? Memória intacta e pleno conhecimento do que acontece a minha volta.

Parece piada, mas uma cidade que isenta do IPTU 2.203 imóveis e sequer sabe o porquê, tangencia as raias do surrealismo, do realismo fantástico.

No total, segundo a matéria que li e pode ser acessada com o link a seguir, são um milhão e quinhentos mil imóveis isentos do tributo.

Com a carência de leitos em hospitais, déficit de vagas em creches e escolas de ensino fundamental, é imoral beneficiar um milhão e meio de contribuintes em potencial.

Qual seria o total desta renúncia? Ninguém é preso, ninguém sofre impeachment? Ninguém é xingado nas redes sociais? Ninguém é vaiado em reunião de condomínio? Fica por isso mesmo?

Bem, como morador de Niterói espero que por aqui não aconteçam estas aberrações, estas excrescências.  Aqui temos alíquotas escorchantes no IPTU. Ou seja, quem paga, paga muito caro. E a cidade/município ainda recebe uma boa grana de royalties decorrentes do petróleo. São 316 milhões por ano.
Confira:
https://oglobo.globo.com/rio/bairros/niteroi-arrecadou-3164-milhoes-em-royalties-do-petroleo-em-2016-21077950

Querem ver outra aberração, outra inominável contradição? Esta no âmbito federal? Já ouviram falar em FIES?

Este programa faz a festa das universidades particulares, como a Lei Rouanet faz a festa dos artistas globais financiando suas peças teatrais e seus shows.

Olha só a incongruência. Universidades públicas estão de pires na mão. Prédios sem manutenção, falta de pessoal qualificado, falta tudo. Principalmente vagas que são limitadas porque há um gap grande entre demanda e oferta de vagas anuais.

Aí o que faz o governo federal? Ao invés de investir mais verbas na ampliação e melhoria de condições das universidades públicas existentes, libera verbas descomunais para financiar matrículas em universidades particulares, mantendo-as em crescimento e enriquecendo seus gestores.

O FIES – Fundo de Financiamento Estudantil – é um programa do Ministério da Educação, que financia cursos de graduação em faculdades e universidades particulares. O montante anual investido, com critérios para lá de duvidosos, fica faltando, por exemplo, para concluir as obras dos vários prédios inacabados, ainda na estrutura básica, mas abandonados, na UFF (Universidade Federal Fluminense), no campus da Praia Vermelha.

Quem, como eu, transita diariamente pela orla da Boa Viagem, aquela que conduz ao MAC, fica triste e assiste desolado ao estado de abandono a que foram condenadas as obras de ampliação da universidade. São vários prédios, já erguidos mas inacabados, agora em estágio de degradação, por abandono total.

Enquanto isso gritamos e ostentamos faixas e cartazes: “Fora Lula, Fora Dilma, Fora Temer”, e não temos opção para gritarmos “Entra Fulano, Entra Sicrano”.

Tudo está contaminado no que respeita a gestão da coisa pública - res publica - dos romanos.


Nota do autor:
1) Ora vejam só, a edição de sexta-feira, dia 23 último, do jornal O Globo, na página 9, noticia que o IPTU no município do Rio de Janeiro, poderá aumentar em até 100%. O projeto, do prefeito, está na câmara de vereadores para discussão e aprovação antes do recesso de julho.
2) O mesmo jornal, no dia seguinte, ou seja, no sábado dia 24, na página 12, desculpa-se pelo equívoco e informa que o aumento do IPTU não ultrapassará os 67%.
3) Ah! Ainda bem. Serão apenas 67% de aumento. Estão contentes?

4 comentários:

Jorge Carrano disse...

Poderíamos incluir esta notícia entre os absurdos. Mas está mais para uma nota fúnebre, para a página de necrologia:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_opera%C3%A7%C3%B5es_da_Pol%C3%ADcia_Federal_do_Brasil

A Portuguesa, a Lusa do Canindé, de tantos histórias, deu adeus ao futebol eliminada na série "D" do campeonato de futebol.

Riva disse...

Seria aquela mesma Lusa que livrou Aquele Time do Mal do rebaixamento em 2013, colocando o Héverton em campo ?

Naquele episódio vergonhoso da escalação do André Santos naquele Time do Mal ?

Foram fazer pacto com o diabo, está aí o resultado.
Criem a série E.

Jorge Carrano disse...

Como se dizia antigamente: deu-se mal na galhada.

Hoje em dia seria: deu ruim.

Jorge Carrano disse...

Cem mil vagas no FIES. Sabem quanto isto custará aos cofres públicos?

Não seria melhor investir na ampliação da capacidade das universidades federais já em operação?

Enquanto isso alguns prédios da UFF, em obras há muito tempo, estão inacabados por falta de verbas.

Incoerências.

Leiam em:
http://g1.globo.com/educacao/noticia/governo-anuncia-novas-regras-para-o-fies-2018.ghtml