16 de setembro de 2016

Nada será como antes, amanhã

O verso do título, é o mesmo da canção do Milton Nascimento, na qual ele diz:

"Eu já estou com o pé nessa estrada,
Qualquer dia a gente se vê,
Sei que nada será como antes, amanhã.
Que notícias me dão dos amigos?
Que noticias me dão de você?"


Já pela filosofia oriental somos alertados de que "ninguém consegue entrar duas vezes no mesmo rio." Sábias palavras. Sábio aforismo. 

Nelson Motta pegou o gancho e versejou, em parceria com Lulu Santos:

"Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito"

Paulo Alberto Moretzsonh Monteiro de Barros, mais conhecido como Artur da Távola, perpetrou que "viver é acumular perdas". Definição mais simples e objetiva impossível.


De novo recorro ao Milton Nascimento:

"Todos os dias é um vai e vem

A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que veio quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente  sorrir e a chorar
.................................
O trem que chega
É o mesmo trem da partida"

Este blog é como a plataforma da estação. Tem gente que veio só pra olhar, tem gente que chega pra ficar, tem gente que veio e quer voltar, para nunca mais vir.

Chegaram amigos antigos, guardados no baú da memória poucas vezes atiçado. Chegaram parentes distantes, fisicamente e genealogicamente. Chegaram, viram e se foram quase sempre à francesa. Chegaram de repente e sumiram na calada da noite.

Fiz novos amigos, que se transformaram em mais novos velhos amigos. Mas divergências políticas, filosóficas, religiosas ou futebolísticas, arrefeceram a alegria e o gosto pelo contato frequente, embora virtual.

Descendentes de personagens citados em postagens antigas vieram ao blog, e com seus comentários deram credibilidade as narrativas a respeito dos mesmos. Foram, por exemplo, os casos do delegado Moacir Bellot, do comendador Clarimar Fernandes Maia e do comandante Paulo Pessoa.

Amigos de infância reaparecerem alertados por filhos e netos de que foram mencionados no blog, casos do Doraly José do Canto e  de Upiracy Ferreira.

Resgatei contatos que não soube preservar. Não consegui, talvez como devesse, reatar mais fortemente, como se faz com o fio elétrico rompido em mal contato, com uma fita isolante.

E tem gente que veio só olhar. Se não ficaram é porque a "estação" não lhes agradou e sequer desembarcaram. Deram um tchauzinho e pronto. 

Alguns deixaram o gostinho de quero mais. Que pena que se evaporaram. Mas a vida é assim, acúmulo de perdas.

23 comentários:

Jorge Carrano disse...

Vieram, viram e partiram:
Meus filhos e neta. Irmã e nora, primos e primas. Inclusive distantes, como Regina Célia, Ricardo Wagner e Sérgio Henrique.
Amigas e amigos que não me proponho a enumerar para não correr risco de ser traído pela memória. Mas vou exemplificar: Ricardo dos Anjos, Luvanor Belga, Elizabeth Paiva, Esther Bittencourt, que além de seguidores foram colaboradores, enriquecendo o blog com seus textos em prosa e verso.
Cadê, por exemplo, a Alessandra, com seus posts românticos e, por vezes, nostálgicos?
Até os irmãos March - Freddy e Riva - aos poucos foram saindo, de fininho.
O último dos moicanos é o Gusmão, mas até quando se manterá fiel?

Não se trata de queixa, ou simples lamento, este desabafo é antes de tudo uma homenagem a tantos quantos me incentivaram a levar adiante a ideia do blog, nos momentos de desânimo.

Meus agradecimentos aos seguidores, muitos dos quais sequer conheço pessoalmente ou mesmo tenha mais informações sobre eles. São amigos de amigos, ou vieram ao espaço através de pesquisa na rede, via Google.

Até mais ver. Ciao. À tout à l'heure. So long. Bye,bye. Adiós. Hasta la vista. Auf Wiedersehen.

Jorge Carrano disse...

Não queria correr risco de omissões de nomes de antigos colaboradores, e acabei de constatar que cometi um imperdoável esquecimento.

O confrade Paulo Bouhid, de tantas e oportunas intervenções via comentários, acaba de me alertar, via e-mail, sobre equívocos cometidos no texto, como de resto fez durante muito empo, a ponto de ser nomeado revisor ad hoc.

De uns tempos a esta parte andou arredio, mas verifico com prazer que não aparecia, mas não deixou de acompanhar o blog.

Valeu Paulo, por hoje e pelo passado.

Fiz as retificações.

Paulo Bouhid disse...

Eu que agradeço, Jorge... e não adianta cobrar nada desta vez, já que nunca me pagaram.

Abs.

Jorge Carrano disse...

Gusmão,
Seu texto etá no prelo. Será publicado domingo ou segunda.
Valeu!

Aproveito para informar que os comentários continuarão a ser acolhidos diariamente e as colaborações em prosa e verso serão publicadas.

O blogueiro é que se concederá férias

GUSMÃO disse...

Faz revisão no texto, por favor. Ou pede ao seu amigo Paulo (he he he).

Não sou moicano, sou da tribo blackfeet.

Riva disse...

Meu caro amigo Blog Manager,

Não olhe a parte vazia do copo. A vida é acúmulo de ganhos. E os ganhos não existem sem as perdas, para alguém.

Talvez um retorno à Yoga seja bom no momento.

PS1: não sumimos, Riva e Freddy. Um mix de muita dedicação ao trabalho e outras coisas. A vida vem em ondas, uma senóide. Acesso diariamente o Pub da Berê, mas tenho comentado pouco, só isso.
PS2: domingo irei ao Parque Olímpico assistir Rugby em cadeira de rodas. Depois comento.

Jorge Carrano disse...

Sei que o Freddy está dodói. Mas, de novo, recorro aos poetas populares: na vida tudo passa, tudo passará.

Luvanor Belga disse...

NOBRE LAMENTOSO EDITOR/CRIADOR/PROPRIETÁRIO BLOGUEANO QUE RIMA COM CARRANO.
EIS A JUSTIFICATIVA QUANTO A NOSSA MUI RESTRITA PARTICIPAÇÃO NESSE BLOG UNIVERSALISTA. MINHA E DO MEU ALTEREGO, POR MEIO TAMBÉM DE UM HETERÔNIMO DE UM DOS GRANDES POETAS DA LÍNGUA PORTUGUESA.

Queira-nos bem.
LUVANOR BELGA, o Bipolar

Cansaço
O que há em mim é sobretudo cansaço —
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas —
Essas e o que falta nelas eternamente —;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada —
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimno, íssimo, íssimo,
Cansaço...

Álvaro de Campos, in "Poemas"

Jorge Carrano disse...

Alguém que não conheça o poeta, ou o heterônimo, bipolar que seja; que não seja amante das letras, da língua culta; que não venere a criatividade, a inteligência ágil; que não se curve diante da multiculturalidade; alguém sem disponibilidade para o aprendizado, para o enriquecimento do espírito, não entenderá porque tanto lamentei a apostasia dos confrades do quilate de Luvanor Belga e de seu não menos erudito mentor intelectual Ricardo dos Anjos, redundância poética da família dos Anjos, que teve origem em Augusto dos Anjos, o avô, nascido no remoto Engenho Pau d’Arco, no município de Cruz do Espírito Santo, no Estado da Paraíba.

O comentário do Luvanor, com espeque em Alvaro de Campos, também ele um heterônimo, verdadeiro alter ego do escritor português Fernando Pessoa, deixou bastante claro o porquê de meu lamento, minha saudade, minha carência afetiva.

Forte abraço Luvanor. Estando com o Rirdosanjos, no Facebook, que sei ser o sitio da preferência de ambos neste estágio de vida, diga-lhe que não me abandone só porque sou refratário às redes sociais.

Obrigado!

Ana Maria disse...


Embora o meu irmão Jorge conheça os motivos de silêncio virtual, o blog manager insiste em ignorá-los. Para ele eu prometo que, indo ao médico na segunda feira próxima, pedirei atestado  com CID e, se necessário, laudo descritivo das limitações causadas pela gripe no organismo idoso.


Enviado por Samsung Mobile

Jorge Carrano disse...

Em delação premiada informarei a quem interessar possa a aos distintos leitores que antes, muito antes de ser acometida pela crime, minha irmã caçula prometera mandar um post sobre Teresópolis.

E não cumpriu. Mais ainda, é reincidente específica pois fizera outras promessas semelhantes que também não cumpriu.

Se no caso do Luvanor a tônica é o cansaço, no dela é preguiça.

Ana Maria disse...

Ah! Que maldade! Esqueceu que me disse que não tinha pressa? Deve ser problema da idade. Kkk

Riva disse...

.... simplesmente demais o Pub da Berê .... preguiça, cansaço, sei lá mais o que .... trabalho, saúde, mas todos voltam aqui .... por aqui passam provavelmente todos os dias como eu .....

Nosso Blog Manager está precisando meditar um pouco, e deixar o rio fluir ... deixe um tempo por nossa conta com posts e comentários. Os comentários fomentam comentários e acabam quase como um post, intitulado COMENTÁRIOS NÃO SEI DO QUE !!

... ou então "CONVERSA NA MESA DE UM BAR" .....

Vejam, nesse momento estou teclando às 22:15h depois de chegar do trabalho (sempre chego tipo 20h), tomar um drink, conversar com a matriarca um pouco, banho, jantar, e aki estou refestelado, cansado e preguiçoso no Sofá Oeste Esquerdo do RIVA´s STADIUM olhando para a TV na esperança de um jogo do FLU, mas é só no domingo.

That´s the way it is .... nothing to do ..... just go on .....

Bom fim de semana pra vcs, que reapareçam as Alessandras, Kaylas, Profª Rachel, netos, filhos e amigos ..... mas se não aparecerem, que curtam o Pub de qqer maneira.

PS: ouvindo Beatles e Rascals. E grokando o momento ..... muito mesmo.

Jorge Carrano disse...

às 22:15 não tinha Fluminense na TV, mas tinha o Vasco que pode estar na segunda divisão do campeonato, mas está em primeiro no coração da matriarca.

Não custa nada dar uma forcinha. Casal que torca (e sofre) unido permanece unido.

Bom final de semana para todos.

Amanhá tem Gusmão e seus almoços familiares, já editado e na ponta da agulha para entrar no ar.

Que venham outros textos, em prosa ou verso, como solução para manter vivo o blog.

GUSMÃO disse...

Fazendo teaser ?

Espero não decepcionar. Reclamações e injúrias devem ser dirigidas ao editor.

Jorge Carrano disse...

AVISO:

Aqui no blog NÃO tem pokémon.

Riva disse...

Amanhã vamos ao Parque Olímpico na Barra assistir rugby em cadeira de rodas. Depois conto.

esther maria duarte lucio bittencourt disse...

Foi um prazer reencontrá-lo Jorge Caetano. Um grande abraço

Jorge Carrano disse...

Muito obrigado, Esther. A alegria foi toda minha.
Abraço do Carrano.

Freddy disse...

Foi com grande satisfação que testemunhei o reaparecimento de antigos participantes. Isso enriquece o blog e os longos comentários, muitos deles maiores que posts, são joias raras.
Infelizmente ainda não consegui sair do hospital, onde ainda aguardo apenas os prolegômenos de árdua luta, que promete ser longa.
Dizem por aí que o sofrimento nos torna criativos, mas creio que no caso ainda vai demorar um pouco até que consiga produzir algo à altura do Pub.
Torço pela vida longa e próspera do blog e que muito em breve volte a participar com posts e comentários, que de momento se resumem a uma espécie de "ainda estou aqui"!
Abraços
Freddy

Jorge Carrano disse...

Freddy,
Queremos ler seus comentários, mesmo que, provisoriamente, se resumam a "ainda estou aqui". Eles revelarão, de forma oculta, boas notícias.
Depois, com a recuperação e a alta hospitalar, já em seu habitat natural, no conforto da lar e tendo a disposição a parafernália necessária volte a colaborar da forma com que faz desde há muito, para minha alegria e dos demais frequentadores do Pub da Berê.

Aliás, bem a propósito, como chegaram alguns novos seguidores, sem contar litores ocasionais, precisamos explicar porque o Generalidades Especializadas (razão social) tem o nome fantasia de "Pub da Berê".

Quer tentar? Sem pressa ...

Boa recuparação é o que desejamos.

Alodio Moledo disse...

Carrano
Sou um admirador seu e do seu blog, mas já faz algum tempo que não tenho lido, pois amanhã fará três meses do falecimento de minha irmã mais velha, Daisy.Ainda curto a saudade que ela deixou.
Abs
Alódio

Jorge Carrano disse...

Caro Amigo,
Aceite meus sentimentos. Como bem conceituou o Paulo Alberto Monteiro de Barros, "viver é acumular perdas".
Inclusive de pessoas muito queridas.
Forte abraço.