20 de junho de 2021

Yoga na praia

 

"Yoga na Praia” com data marcada para recomeçar em Niterói

ByRedaçãoPosted on 20 de junho de 2021

https://cidadedeniteroi.com/2021/06/20/yoga-na-praia-com-data-marcada-para-recomecar-em-niteroi/



Idealizado pelos professores Jorge Carrano e Cristiane Garcia, desde 2017 é realizado em Niterói o evento “Yoga na Praia”, que já virou tradição na cidade. Criado com o intuito de levar o Yoga ao maior número possível de pessoas, o projeto já alcançou pelo menos mais de 1 mil pessoas neste período, muitas das quais nunca haviam experimentado a prática. “Nosso propósito com esse projeto é levar o Yoga para todos os públicos, numa ação de cunho social, pois todos podem praticar, independente de idade ou situação socioeconômica. Yoga é pra todos.” explica Jorge Carrano.

Por conta da pandemia, as aulas da praia foram substituídas pelas aulas online via Instagram (@dharmabhumi), e o projeto por um período passou a se chamar “Yoga na Sala”. Agora no início do próximo mês, o niteroiense poderá voltar a participar do “Yoga na Praia”, que já tem data marcada para recomeçar, dia 4 de julho, 9h, na areia da Praia da Boa Viagem.

Jorge nos contou uma história que marcou o projeto e emociona bastante o professor, “Um dia, uma senhora de 92 anos, passeando pela calçada com o filho, viu a aula lá de cima e comentou com o filho que a vida toda ela quis fazer Yoga, mas nunca teve oportunidade. Ele fez contato e ela foi fazer sua primeira aula aos 92 anos! Lindo de ver a expressão de alegria em seu rosto. É isso que nos motiva.”

14 de junho de 2021

Eriksen, Djokovic e Sizikova

 


Zapeando  no final de semana, assisti:

O dinamarquês Eriksen, sofreu mal súbito durante uma partida pela Eurocopa. Assistir ao comportamento dos jogadores da Finlândia, seleção adversária, e das torcidas que se alternavam gritando o nome do jogador (Eriksen), levou-me a acreditar que o ser humano ainda tem alguma chance de dar certo.

No estádio, as manifestações de preocupação e desespero, mas sobretudo de solidariedade, foram prova de que temos salvação. Em outras plagas, como na Escandinávia, estamos mais próximos do que chamamos de civilidade.

A par da ação de isolamento, conforme protocolo consagrado para evitar divulgação de imagens chocantes, os companheiros também se enfileiraram formando um cordão de isolamento.

O Erkisen está, segundo as últimas notícias, praticamente recuperado. Aliás ele foi ressuscitado pela pronta ação dos médicos e paramédicos. 👍👍👍

                                            XXXXXXXXXX

O sérvio Djokovic, que já conquistou nesta temporada o aberto da Austrália e Roland Garros, vai em busca do título de Wimbledon, chegando à tríplice coroa ( os 3 Grand Slam). E está mirando na medalha de ouro olímpica.

Está bem próximo do nível de Federer e Nadal. A despeito da força física do Djokovic, ainda sou torcedor e admirador da técnica do suíço Federer.

                                            XXXXXXXXXX

Ainda no mundo do tênis, papelão da russa Sizikova, que está longe de se igualar, tanto em desempenho esportivo quanto beleza, a sua compatriota vencedora Maria Sharapova.


Yana Sizikova foi flagrada no doping. Tsk, tsk, tsk, coisa feia. 😡😡

                                            XXXXXXXXXX

Que jogo  foi aquele entre Holanda e Ucrânia, pela Eurocopa ? !

Além do alto nível no jogo, a presença de público nas arquibancadas, deu um colorido emocionante à partida. 👏👏👏



13 de junho de 2021

FICÇÃO

 

Obra de duplicação da Rua Paulo Alves, no Ingá, entra em fase final

As obras de duplicação da Rua Doutor Paulo Alves, no Ingá, vão entrar em sua fase final na próxima semana, com a conclusão da remoção dos postes pela concessionária Enel. O trabalho durou seis meses. De acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) e a Emusa, todo o trabalho de reurbanização e duplicação das pistas já foi concluído. Agora será feito o acabamento, principalmente nos locais ocupados pelos antigos postes e o recapeamento asfáltico.

Segundo o secretário de Urbanismo de Niterói, Renato Barandier, o alargamento da Paulo Alves vai melhorar o trânsito no eixo viário que liga a Região Oceânica e a Zona Sul pela Praia de Icaraí em direção ao Centro. “É uma obra importante para o sistema viário de Niterói. Agora a rua será preparada para receber um asfalto novo e uma série de intervenções de acabamento, principalmente nos locais de onde os postes foram retirados, será feita nas próximas semanas”, explica Renato Barandier.

Com as intervenções, a Paulo Alves passará de três para quatro faixas de rolamento para os veículos, no trecho entre as ruas Presidente Pedreira e Casimiro de Abreu. A quarta faixa é exclusiva para ônibus. As intervenções incluem também a requalificação de todos os passeios, paisagismo, com fiação subterrânea.

A obra é um dos projetos previstos no Plano Municipal de Mobilidade, apresentado pela Prefeitura de Niterói em novembro de 2019. O Plano inclui uma série de intervenções urbanas e viárias, algumas já em andamento e outras previstas para serem implantadas nos próximos 10 anos, visando à melhoria da mobilidade em toda a Niterói.

Foto: Berg Silva

Ainda a fiação

 

A fiação não foi, ainda, inteiramente retirada. Então, há quase um mês, o que temos é isto que as fotos ilustram.



A PMN promete retomada das obras amanhã, juntamente com a ENEL que irá retirar, finalmente, os postes.

Leiam em:

12 de junho de 2021

Humor

 

Este vídeo abaixo é  engraçadíssimo.


As imagens a seguir também.







9 de junho de 2021

Emoções

Alguns acontecimentos nos emocionam. Alguns levam às lágrimas. 

Emociona e causa inveja o comportamento abaixo:



A notícia abaixo também emociona, porque não?

Em primeiro lugar porque a natureza se revela fantástica, uma vez mais.

Sem contar nossa felicidade por não termos tido por aqui um casal destes dinossauros com dois filhos, por exemplo.

O que seria da Amazônia?


O saurópode herbívoro viveu no período Cretáceo, entre 92 milhões e 96 milhões de anos atrás, quando a Austrália estava anexada à Antártida, de acordo com uma pesquisa publicada na segunda-feira, 7.


6 de junho de 2021

 

Os espaços de Yoga pedem socorro – Por Jorge Carrano

A pandemia do coronavírus nos pegou de surpresa duas vezes. A primeira, em março de 2020, quando entrou no nosso vocabulário a expressão “lockdown”. De um dia para o outro, os espaços de Yoga fecharam e uma nuvem de incertezas passou a existir em nossas mentes. Os professores, bravamente, se adaptaram e tentaram resistir, aprendendo a lidar com Zoom, luz, problemas de som, adaptar as aulas etc.

Mas, a segunda surpresa está no fato de que, passado mais de um ano do início da pandemia, ainda estamos no mesmo lugar (talvez, pior) do que antes, e não vamos tratar aqui dos motivos. O que importa, de fato, é que os espaços de Yoga pedem socorro.

Ao longo de 2020, diversos estúdios tradicionais de Yoga fecharam em Niterói. Alguns deles com mais de 30 anos de atividades. Não citaremos nomes, mas sabemos que são profissionais sérios, dedicados ao estudo e ao bem-estar de seus alunos. Mas onde estão esses alunos?

Alguns não podem mais custear as aulas porque perderam emprego. Outros, estão com medo de voltar às aulas presenciais, o que também é compreensível.  O vírus não tem apenas o viés do risco para a saúde, mas também para a saúde econômica de inúmeras atividades.

O trabalho de anos está sendo perdido porque a maioria dos espaços de Yoga encontra-se em salas com custos de aluguel, condomínio, IPTU, luz, e tantas despesas. O mesmo raciocínio se aplica também às academias de ginástica, espaços de pilates, massoterapeutas e tantas outras atividades com o mesmo perfil: pequenas empresas voltadas à promoção da saúde e do bem-estar.

Diante desse cenário, muitos espaços preferiram fechar de vez a manter as portas abertas.  Agora é um momento de união. Não é esse também um dos significados da palavra Yoga?

União dos alunos com os professores para que os espaços mantenham-se operando, ainda que com receitas reduzidas. União dos proprietários dos imóveis com seus inquilinos (os estúdios de Yoga), para viabilizar as portas abertas. União de todas as esferas do poder – Municipal, Estadual e Federal – abandonando o perverso negacionismo e acelerando a vacinação, única saída eficaz. Enfim, união por um bem comum: a vida.

A ironia é que – justamente por causa da pandemia – precisamos cada vez mais de Yoga. As pessoas estão exaustas do “abre e fecha” das atividades, esgotadas do ambiente online, com níveis de ansiedade e estresse além do normal, e tudo isso aponta para uma necessidade cada vez maior de praticar Yoga. Essa prática milenar, vale reforçar, é uma atividade que faz bem para o corpo (que está sedentário demais após longos períodos em casa), mas atua sobretudo na mente, pois ajuda a combater justamente esses efeitos negativos da pandemia: medo, estresse, ansiedade, insônia.

Para encerrar, fica um alerta importante para você, que é praticante (aluno) de Yoga: se você não voltar logo, quando decidir fazê-lo pode não ter mais o espaço que costumava ou gostaria de praticar, pois ele terá sido mortalmente contaminado pelapandemia. Vamos praticar. Yoga sim. Vacina sim.

Jorge Carrano é idealizador e coordenador do espaço de Yoga e Meditação Dharma Bhūmi, em Niterói. Publicitário e praticante de Yoga desde 1993, fez sua primeira formação no Studio Saraswati de Yoga e Vedanta. Formado também pelo IEPY (Instituto de Estudos e Pesquisas em Yoga), certificado pela Escola de Kaivalyadhama (Índia).


Nota: originalmente publicado em:

http://cidadedeniteroi.com/2021/06/06/os-espacos-de-yoga--pedem-socorro-por-jorge-carrano/